HOJE O “MILAGRE DO SOL” COMPLETA 100 ANOS

Um testemunho do Milagre do Sol: “Se não fosse católico, nesse momento ter-me-ia convertido”

Fonte: Observador

Bernardo Motta reuniu em livro cerca de centena e meia de testemunhos do Milagre do Sol. O livro sai no último dia das celebrações do Centenário das Aparições de Fátima. Leia aqui um dos depoimentos.

Há 100 anos, a 13 de outubro de 1917, dezenas de milhares de pessoas assistiram, à hora prevista, ao chamado “Milagre do Sol” — um sinal pedido a Nossa Senhora por irmã Lúcia, três meses antes, para que todos acreditassem nas aparições de Fátima. Bernardo Motta recolheu cerca de centena e meia de depoimentos de testemunhas oculares, que transcreveu e reuniu num livro. O Milagre do Sol segundo testemunhas oculares chega às livrarias esta sexta-feira — o dia em que se encerram as celebrações do Centenário das Aparições de Fátima.

O Observador pré-publica um desses depoimentos: o do e Luís António Vieira de Magalhães e Vasconcelos.

«Depoimento que faz pela sua honra e pela sua fé de cristão, Luís António Vieira de Magalhães e Vasconcelos, solteiro, advogado e oficial do registo civil no concelho de Vila Nova de Ourém, sobre os factos ocorridos nas proximidades do lugar da Fátima, deste concelho, no ano de 1917. Já há meses corriam variadas versões de que a Virgem Nossa Senhora aparecia nas proximidades do lugar da Fátima a umas pequenas pastoras. Eu tinha conhecimento dessas versões e sabia que era grande a afluência de gente de várias categorias sociais ao local indicado pelas referidas pastoras, principalmente nos dias 13 de cada mês, pois eram os dias em que estas diziam que se davam as aparições. Tais boatos começaram a interessar-me e por esse motivo pretendi então informar-me do que se passava. Falando com algumas pessoas que lá tinham estado no dia treze de setembro, umas declararam-me que nada tinham visto, outras que tinham visto uma estrela, outras faziam descrições fantásticas. Tão pouca uniformidade havia nos seus depoimentos que me convenci de que se tratava de uma “blague” sem o menor fundamento. Esta minha convicção mais se avigorou, quando dias depois falei com um venerando sacerdote deste concelho, que me disse ter sabido casualmente que as pequenas pastoras tinham em casa um livro onde se descreviam os milagres de Nossa Senhora de Lourdes e da Virgem de La Salette. Este venerando Sacerdote mostrava-se pouco inclinado a acreditar na sinceridade das revelações feitas pelas pequenas. Continuar lendo

ORDENAÇÕES NO SEMINÁRIO DE LA REJA (ARG)

No sábado, 7 de outubro de 2017, Festa de Nossa Senhora do Rosário, o Superior Geral da Fraternidade São Pio X, D. Bernard Fellay, celebrou uma Missa Pontifical no seminário de Nossa Senhora Corredentora em La Reja (Argentina). Dezoito seminaristas receberam tonsuras, ordens menores ou o sub-diaconato.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • 5 seminarista do 2º ano receberam a tonsura eclesiástica e entraram no clericato.
  • 5 seminaristas do 3º ano receberam as primeiras ordens menores de porteiro e leitor.
  • 1 seminarista do 4º ano recebeu as segundas ordens menores de exorcista e acólito.
  • 7 seminaristas do 5º ano receberam a ordenação ao sub-diaconato. Destes, 4 são argentinos, 2 brasileiros e 1 mexicano.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Senhor, dai-nos sacerdotes,

Senhor, dai-nos santos sacerdotes,

Senhor, dai-nos muitos santos sacerdotes,

Senhor, dai-nos muitas santas vocações religiosas,

Senhor, dai-nos famílias católicas, 

São Pio X, rogai por nós”

O CARDEAL BURKE PODERIA FALAR DE “CISMA” EM RELAÇÃO À FSSPX?

news-header-imageFonte: DICI – Tradução: Dominus Est

No dia 15 de julho de 2017, o Cardeal Raymond Burke, Patrono da Ordem de Malta e ex-Presidente do Tribunal de Assinatura Apostólica, fez uma conferência em Medford, Oregon, nos Estados Unidos. Interrogado sobre a Fraternidade São Pio X, respondeu que, segundo ele, esta sociedade de sacerdotes está “em estado de cisma”, isso “desde que o falecido Mons. Marcel Lefebvre ordenou quatro bispos sem o mandato do Romano Pontífice. Portanto, não é legítimo assistir à Missa ou receber os sacramentos em uma igreja que está sob a jurisdição da Fraternidade São Pio X. “

Proveniente de um dos quatro cardeais signatários da Dubia sobre as passagens heterodoxas da Amoris lætitia, esta declaração, publicada na Internet por um blogueiro americano em 30 de setembro, é surpreendente em diversos aspectos.

O cardeal Burke, eminente canonista, se manifesta, sem dúvida, de forma jurídica, mas parece ignorar que, ainda que as sagrações episcopais de 1988 tenham merecido as sanções mais elevadas aos seus autores, nem os membros da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, nem os fiéis que frequentam seus priorados, nunca foram declarados cismáticos.

Certamente, o prelado romano sabe que o Papa Bento XVI levantou, em 21 de janeiro de 2009, qualquer tipo de sanção a que os bispos da Fraternidade incorreram e, portanto, admite que os bispos da Fraternidade “não estão mais excomungados”, mas, segundo ele “não estão em plena comunhão com a Igreja Católica.” Esta “anomalia” lhe parece incompreensível, como o fato do Papa Francisco dar o poder ordinário de confessar a todos os sacerdotes da Fraternidade, e até mesmo reconhecê-los como testemunhas qualificadas da Igreja para os casamentos dos seus fiéis. Então, para declarar pura e simplesmente “em um estado de cisma”, há um passo que nenhum papa autorizou atravessar, mas que o Cardeal Burke cruza um pouco rápido demais. Continuar lendo

CAUSAS E TÁTICAS MODERNISTAS

Para mais a fundo conhecermos o modernismo e o mais apropriado remédio acharmos para tão grande mal, cumpre agora, Veneráveis Irmãos, indagar algum tanto das causas donde se originou e porque se tem desenvolvido. Não há duvidar que a causa próxima e imediata é a aberração do entendimento. As remotas, reconhecemo-las duas: o amor de novidades e o orgulho. O amor de novidades basta por si só para explicar toda a sorte de erros. Por esta razão o Nosso sábio predecessor Gregório XVI, com toda a verdade escreveu (Encicl. “Singulari Nos” 7/07/1834): «Muito lamentável é ver até onde se atiram os delírios da razão humana, quando o homem corre após as novidades e, contra as admoestações de São Paulo, se empenha em saber mais do que convém e, confiando demasiado em si, pensa que deve procurar a verdade fora da Igreja Católica, onde ela se acha sem a menor sombra de erro». Contudo, o orgulho tem muito maior força para arrastar ao erro os entendimentos; e é o orgulho que, estando na doutrina modernista como em sua própria casa, aí acha à larga de que se cevar e com que ostentar as suas manifestações.

Efetivamente, o orgulho fá-los confiar tanto em si que se julgam e dão a si mesmos como regra dos outros. Por orgulho loucamente se gloriam de ser os únicos que possuem o saber, e dizem desvanecidos e inchados: Nós cá não somos como os outros homens. E, de fato, para o não serem, abraçam e devaneiam toda a sorte de novidades, até das mais absurdas. Por orgulho repelem toda a sujeição, e afirmam que a autoridade deve aliar-se com a liberdade.

Por orgulho, esquecidos de si mesmos, pensam unicamente em reformar os outros, sem respeitarem nisto qualquer posição, nem mesmo a suprema autoridade. Para se chegar ao modernismo não há, com efeito, caminho mais direto do que o orgulho. Se algum leigo ou também algum sacerdote católico esquecer o preceito da vida cristã, que nos manda negarmos a nós mesmos para podermos seguir a Cristo, e se não afastar de seu coração o orgulho, ninguém mais do ele se acha naturalmente disposto a abraçar o modernismo! – Seja portanto, Veneráveis Irmãos, o vosso primeiro dever   resistir a esses homens soberbos, ocupá-los nos misteres mais humildes e obscuros, a fim de serem tanto mais deprimidos  quanto mais se enaltecem, e, postos na ínfima plana, tenham menor campo a prejudicar. Além disto, por vós mesmos ou pelos reitores dos seminários, procurai com cuidado conhecer os jovens que se apresentam candidatos às fileiras do clero; e se algum deles for de natural orgulhoso, riscai-o resolutamente do número dos ordinandos. Neste ponto, quisera Deus que se tivesse sempre agido com a vigilância e fortaleza que era mister! Continuar lendo

TOMADA DE BATINA EM LA REJA – ARGENTINA – 2017

No domingo 17 de setembro, festa da impressão das chagas de São Francisco, os seminaristas do primeiro ano, providencialmente, com grande alegria e entusiasmo, receberam o santo hábito da batina, dando assim seus primeiros passos à renúncia ao mundo e à entrega total à Deus.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A cerimônia teve lugar depois do sermão e, havendo terminado este, os seminaristas do ano de espiritualidade subiram ao altar e apresentaram suas batinas para que estas fossem abençoadas, depois do qual saíram à sacristia para revestirem-se pela primeira vez do hábito sagrado, e assim depois de alguns minutos, com grande alegria dos familiares que os acompanhavam, entraram revestidos com batina e sobrepeliz para receber das mãos do Padre Diretor uma pequena cruz de madeira, para que de agora em diante busquem somente identificar-se com Ele.

Queira Deus conceder-lhes a perseverança e fidelidade à sua graça.

Dos 7 seminaristas que receberam a batina, 3 deles são mexicanos, 2 argentinos, 1 colombiano e 1 de Republica Dominicana.

**************************

Nota do Blog: rezemos também, de forma particular, pelos 5 seminaristas brasileiros que serão ordenados em dezembro: 3 ao sacerdócio e 2 ao diaconato.

**************************

“Senhor, dai-nos sacerdotes,

Senhor, dai-nos santos sacerdotes,

Senhor, dai-nos muitos santos sacerdotes,

Senhor, dai-nos muitas santas vocações religiosas,

Senhor, dai-nos famílias católicas, 

São Pio X, rogai por nós”

TOMADA DE HÁBITOS E PRIMEIROS VOTOS ENTRE OS IRMÃOS DA FSSPX

Em Zaitzkofen

No domingo, 24 de setembro, no seminário Sagrado Coração de Jesus, em Zaitzkofen, na Alemanha, um Irmão postulante da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, recebeu seu hábito e, assim, começou o noviciado.

Nativo da Alemanha, o jovem recebeu o hábito do Reitor, Pe. Franz Schmidberger: uma simples batina com uma cinta fina. Na capela da Imaculada Conceição, ele recebeu também um crucifixo e um novo nome “Andreas” (vocábulo do irmão de São Pedro, o apóstolo São André).

Em sua pregação, o Pe. Frantz Schmidberger sublinhou a relação entre a crise da Igreja e o declínio da vida religiosa.

Ele mostrou ao jovem irmão, como “conselho especial”, as seis vantagens da vida religiosa registrada por São Bernardo de Claraval:

  • Conduz a uma vida mais pura seguindo os conselhos evangélicos; 
  • Raramente cai no pecado; 
  • Se levanta e se purifica mais rápido graças à prática sacramental e o exemplo dos outros religiosos; 
  • Se impregna mais profundamente do orvalho da graça; 
  • Morre com maior confiança, pois um já escolheu Deus como sua verdadeira e única possessão nesta vida; e assim Deus será o bem supremo na vida futura; 
  • Receberá como recompensa, os mais abundantes bens eternos no céu: há uma coroa especial para aqueles que consagraram suas vidas à virgindade.

A FSSPX atribui grande importância à vocação dos Irmãos (atualmente em número de 117), que se comprometem a respeitar as regras dos Irmãos da Fraternidade de São Pio X, tal como D. Lefebvre redigiu:

“Seu primeiro objetivo é a glória de Deus, sua santificação e a salvação das almas” (n. ° 3).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em Flavigny

No dia 28 de setembro, na presença de vários sacerdotes e muitos fiéis, que o Pe. Patrick Troadec – Diretor do Seminário Santo Cura d’Ars, de Flavigny (Fra) – entregou a batina 2 Irmãos postulantes que pronunciaram em seguida, com um terceiro irmão, sua oblação na Fraternidade Sacerdotal de São Pio X, que marca o início do noviciado dos mesmos:

“Em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, aceito as promessas que acabastes de fazer e, em troca, os recebo na qualidade de noviços da Fraternidade São Pio X.”

Então o celebrante deu a cada novato um crucifixo, objeto de sua meditação ao longo de todo noviciado:

“Receba esta cruz, sinal da paixão de Jesus Cristo, para que ela seja para vós o fundamento da fé, a defesa nas adversidades e a eterna bandeira da vitória”.

Entre os três noviços, há 2 franceses e 1 italiano. Quatro novos postulantes, todos franceses, se juntaram ao seminário e começaram hoje sua formação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na sexta-feira, 29 de setembro de 2017, sete Irmãos pronunciaram seus votos em Flavigny na festa de São Miguel arcanjo. Três deles pela primeira vez: 1 francês, 1 camaronês e 1 canadense, na presença do Pe. Christian Bouchacourt e de um uma bela delegação de sacerdotes e irmãos do Distrito da França e da Fraternidade da Transfiguração de Mérigny, sem contar os inúmeros fiéis que cercaram os irmãos professos.

A Missa solene foi celebrada pelo Superior do Seminário Saint-Curé-d’Ars, de Flavignyo Pe. Patrick Troadec , assistido pelos padres Michaël Demierre e Jean-Marie Mavel .  

O Pe. Alain Delagneau , em seu sermão, propôs três imagens para encorajar os irmãos a serem fiéis: a vida de São José e sua prática exemplar de castidade, pobreza e obediência; São Miguel arcanjo e seu espírito contemplativo, que o fez pronunciar seu grito de guerra: ”  Quem é como Deus?  “; e a paixão de Nosso Senhor, conforto nas dificuldades e convite constante à auto-entrega.

Este slideshow necessita de JavaScript.

******************************

Nota do blog: A FSSPX conta hoje com 117 Irmão professos. Para saber mais sobre essa vocação, clique aqui.

PALESTRAS DA FSSPX (EM DVD) NOVAMENTE À DISPOSIÇÃO

Resultado de imagem para fsspxPrezados amigos, leitores e benfeitores, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Por duas vezes esse ano fizemos campanha para divulgação da boa e tradicional doutrina católica, bem como do trabalho da FSSPX, através da venda de palestras que são proferidas pelos padres do Priorado de Santa Maria/RS (revejam aqui  e aqui). As unidades foram vendidas muito rapidamente, com a graça de Deus.

Mais uma vez estamos disponibilizando alguns cursos, descritos abaixo.

Infelizmente a quantidade é pequena e os primeiros a enviarem email (gespiox@yahoo.com.br) com a solicitação, terão suas reservas atendidas.

As descrições, quantidade e valores (já com frete PAC incluso) estão abaixo:

A REPÚBLICA DE PLATÃO

(4 UNIDADES – R$ 40,00)

  • Introdução
  • O Mundo Grego
  • A Vida de Platão
  • Resenha do Diálogo da República
  • A Virtude da Justiça
  • Paralelo entre a Alma e a Pólis
  • A Justiça e a Sabedoria
  • A Solução Cristã ao Dilema de Platão
  • Conclusão

****************************

A UNIVERSIDADE MEDIEVAL

(3 UNIDADES – R$ 40,00)

  • Introdução
  • Antecedentes Históricos
  • Civilização Escolástica
  • Os Mosteiros
  • O Aparecimento das Universidades

****************************

A GESTA DE SANTA JOANA D’ARC

(ESGOTADO – R$ 40,00)

  • Introdução
  • Fim dos Tempos
  • Guerra dos Cem Anos
  • Missão de Jeanne
  • Batalha de Orleans e Sagração em Reims
  • Universidade de Paris
  • Processo e Martírio
  • Reabilitação e Canonização
  • Retrato Moral
  • Conclusão

****************************

A EDUCAÇÃO CATÓLICA DOS FILHOS

(10 UNIDADES – R$ 40,00)

  • A Família, Base da Educação
  • A Alma Humana
  • A Prudência da Educação
  • A Ordem do Bem Comum
  • A Cidade de Deus
  • Conclusão

****************************

NOITE ESCURA – VIDA, OBRA E DOUTRINA DE SÃO JOÃO DA CRUZ

(Esgotado – R$ 40,00)

  • Introdução Geral
  • O desastroso século XVI
  • El Gran Imperio
  • Contemplação
  • História da Ordem Carmelita
  • Formação de São João da Cruz
  • A Reforma Teresiana
  • Prisão de Toledo
  • Prisão de Toledo e Escritos
  • Subida ao Monte Carmelo
  • Noite Escura
  • Crise Interna
  • Paixão e Morte de Fr. Juan
  • Santa Teresinha, autêntica interprete
  • Conclusão

VÍDEO DA PEREGRINAÇÃO INTERNACIONAL DA FSSPX À FÁTIMA

Como é sabido, nos dias 19 e 20 de agosto a FSSPX fez uma Peregrinação Internacional pelo centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima. A reportagem que publicamos sobre esse evento pode ser vista aqui, aqui e aqui.

Cerca de 10.000 fiéis de todo o mundo estiveram presentes para agradecer, pedir perdão e render graças à nossa Mãe querida.

Publicamos agora um belíssimo vídeo dessa Peregrinação:

INDIFERENTES À MISSA NOVA?

Dois ritos diferentes coexistindo para a celebração da Missa. Realmente devemos considerá-los como duas expressões de uma mesma coisa? Certamente isso não é uma questão de gosto: é a fé católica que está em jogo. Lembremo-nos de como devemos julgar a missa reformada de 1969.

Fonte: FSSPX/Distrito da América do Sul – Tradução: Dominus Est 

Muitos problemas seriam resolvidos se fossemos ao menos indiferentes à Nova Missa. De Roma não nos pedem outra coisa. De tantos católicos perplexos com a reforma litúrgica do Concílio Vaticano II, muitos acreditaram que o mal do novo rito viria apenas da maneira de celebrá-lo e os peregrinam pelas paróquias buscando padres, sempre escassos, que celebrem com piedade e não deem a comunhão nas mãos. Outros, melhor informados, sabem que a diferença não está nos modos do sacerdote, senão no próprio rito e reivindicam a Missa tradicional argumentando, com alguma hipocrisia, o enriquecimento que implica a pluralidade de ritos: o novo é bom, mas o antigo também, melhor então ficar com os dois!

Embora não haja tolos em Roma, eles deixaram correr essa desculpa para os grupos tradicionais que se amparam na Comissão “Ecclesia Dei”. Além disso permitiram para os Padres tradicionalistas da diocese de Campos, no Brasil, que ficassem com seu rito tradicional mesmo dizendo que a Nova Missa é “menos boa”. Mas em Roma perturba nossa Fraternidade porque não só não se diz que é boa, mas que a combate como perversa, perturbando a perplexidade que depois de quarenta anos de Concílio tantos católicos não deixam de sofrer. Se, ao menos, fôssemos indiferentes – que os outros rezem como queiram – Roma nos deixaria em paz. 

Podemos ser indiferentes à Nova Missa?

Na véspera de sua Paixão, havendo chegado a hora de oferecer seu sacrifício redentor a seu Pai, Nosso Senhor fez uma aliança com Sua Igreja: Hæc quotiescumque feceritis, em mei memoriam facietis (Lembre-se de que morri por vossos pecados, que me lembrarei de vós na presença do Pai). E, sendo Deus, nos deixou o imenso mistério da Missa, pelo qual seu Sacrifício permanece sempre vivo, sempre novo, permitindo-nos assistir como ladrões arrependidos: Memento Domine, famulorum famularumque tuarum (Lembra-te Senhor de nós agora que estais em seu Reino).

A memória viva da Paixão que se renova pela dupla consagração graças aos poderes do Sacerdócio, a união misteriosa com a Vítima Divina que se realiza pela comunhão é a única maneira que tem o coração duro do homem para retornar ao amor de Deus, porque nada chama tanto ao amor como conhecer-se muito amado, e a Paixão de Nosso Senhor foi a maior demonstração de amor: ninguém ama mais do que aquele que dá a vida por seu amigo. É por isso que a obra da Redenção que Cristo realizada na Cruz não se faz eficaz para nós senão graças ao Sacrifício da Missa. Continuar lendo

O PRINCIPAL MOTIVO DA PERDIÇÃO

Resultado de imagem para confissãoDiscípulo (D) — Padre, poderia explicar-me a razão deste livro?

Mestre (M) — Chamei-o assim por causa do fato seguinte:

Conta-se certa moça, tendo caído por desgraça num desses pecados que tanto envergonham na confissão, vivia triste e desconsolada. Passaram-se assim muitos meses, sem que nenhuma das companheiras da coitada descobrisse a causa de tanta aflição. Nesse ínterim, aconteceu que a sua melhor amiga, muito virtuosa e devota, morreu santamente.

Uma noite, a chamam pelo nome, quando está no melhor do sono; reconhece perfeitamente a voz da amiguinha morta que vai repetindo:

Confesse-se bem… se você soubesse o quanto Jesus e bom!

A moça tomou aquela voz por uma revelação do céu, criou coragem e, decidida, confessou o pecado que era a causa de tanta vergonha e de tantas lágrimas. Naquela ocasião, tamanha foi a sua comoção, tão grande o seu alívio que depois disso, contava o fato a todo o mundo, e repetia por sua vez: “Experimentem e vejam o quanto Jesus é bom”.

D. — Muito bem! — acredito nisso plenamente, porque, já fiz mais de cem vezes a
experiência de tal verdade.

M. — Pois então agradeça a Deus de todo o coração e continue a fazer boas confissões. Ai daquele que envereda, pelo caminho do sacrilégio! É essa a maior desgraça que nos pode acontecer, porque dela não teremos mais a força de nos afastar, e assim prosseguiremos, talvez até à morte, precipitando-nos no abismo da perdição eterna.

D. — É assim tão nefanda uma confissão mal feita?

M. — É o principal motivo, a causa capital da perdição!

D. — Deveras?
Continuar lendo

14 DE SETEMBRO: EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ

Está página é extraída do Boletim de Nossa Senhora da santa Esperança, de Março de 1903 (reeditada em Le Sel de la Terre, no. 44, consagrado ao Pe. Emmanuel-André). O Padre Emmanuel pronunciou o seu último sermão na festa da Exaltação da Santa Cruz, no Domingo, 14 de Setembro de 1902, seis meses antes de morrer. Trata do espírito da Cruz, que é “a participação do próprio espírito de Nosso Senhor, levando a Cruz, pregado à Cruz e morrendo na Cruz”. 

exal

O ESPÍRITO DA CRUZ

O último sermão do Padre Emmanuel

Irmãos, há muito tempo que não me vedes aqui; não venho aqui com freqüência.

Vou falar-vos de uma coisa da qual nunca falei, nem aqui, nem algures. E essa coisa desejo-a a todos; sei bem que o meu desejo não chegará a todos. Vou falar-vos do espírito da Cruz.

Quando o Bom Deus cria um corpo humano, dá-lhe uma alma, é um espírito humano; quando o Bom Deus dá a uma alma a graça do batismo, ela tem o espírito Cristão.

O espírito da Cruz é uma graça de Deus. Há a graça que faz apóstolos, e assim por diante. O que é o espírito da Cruz?

O espírito da Cruz é uma participação do próprio espírito de Nosso Senhor levando a Sua Cruz, pregado à Cruz, morrendo na Cruz. Nosso Senhor amava a Sua Cruz, desejava-a. Que pensava Ele levando a Sua Cruz, morrendo na Cruz? Há aí grandes mistérios: quando se tem o espírito da Cruz, entra-se na inteligência destes mistérios. Existem poucos Cristãos com o espírito da Cruz, vêm-se as coisas de modo diferente do comum dos homens.

O espírito da Cruz ensina a paciência; ensina a amar o sofrimento, a fazer sacrifícios. Continuar lendo

AS DIFERENTES POSIÇÕES DO CATÓLICOS NO PÓS-CONCÍLIO

Devido ao grande número de questionamentos que recebemos – desde pessoas que querem, humildemente, entender a posição da FSSPX e crise de fé que abala a Igreja até alguns “grandes sábios de redes sociais” que nos acusam de coisas que, além de nos causar grandes risadas, mostram nitidamente que não entendem nada sobre a Tradição, relinchando jargões já refutados há décadas – republicamos um texto da década de 80, escrito pelos até então “Padres Tradicionalistas de Campos” e que permanece atual, para que cada um, de uma maneira simples, analise sua posição de católicos nessa crise pós conciliar.

AS VÁRIAS POSIÇÕES TOMADAS NA CRISE ATUAL

frame-crise-na-igreja1) PROGRESSISMOse subdivide em diversas categorias:

a) Obediência cega: aqueles que não admitem resistência às autoridades. É a posição mais cômoda na crise atual. Tem vários graus. Há até aqueles que dizem: “Prefiro errar com o Papa a acertar sem ele”“Se o Papa fosse para o inferno eu iria junto”. Peca por excesso: chama-se subserviência. Destes tais dizia São Bernardo: “Aquele que faz o mal, sob o pretexto de obediência, faz antes um ato de rebeldia do que de obediência”.

b) Ultra-progressismo: são aqueles que, seguindo os princípios do Concílio Vaticano II, são mais lógicos e vão até às últimas conseqüências, sendo mais avançados do que as próprias autoridades auto-demolidoras da Igreja, não respeitando os freios que estas, por receio de escândalo, tentam impor. São os que, por exemplo, promovem os cultos afros, na linha da inculturação preconizada por João Paulo II; são os que pregam o ecumenismo total, na linha do encontro ecumênico de Assis; são os que apóiam as invasões de terra e o socialismo, na linha da teologia da libertação, etc.

c) Oficialismo: é a posição daqueles que, talvez pelo receio de serem chamados cismáticos, procuram tranqüilizar a própria consciência dizendo que seguem as autoridades oficiais da Igreja, mesmo quando favorecem à autodemolição. É a tentação da oficialidade, que reconhecemos ser bastante forte e sedutora, como se viu na Paixão de Jesus, quando a grande maioria do povo preferiu ficar do lado das autoridades religiosas oficiais que condenavam injustamente a Jesus, que ficou com poucos amigos fiéis.

Os que defendem tal posição teriam ficado com Aarão, sumo sacerdote oficial escolhido por Deus, que levou o povo a adorar o bezerro de ouro; teriam ficado com Caifás, sumo sacerdote oficial, que condenou a Jesus, teriam ficado com o Papa Libério, que favoreceu ao semi-arianismo e excomungou Santo Atanásio; teriam ficado com o Papa Honório que foi anatematizado pela Igreja, após sua morte, por ter também favorecido à heresia.

d) Conservadorismo: são os tidos como “conservadores”, querem conservar os ritos antigos, sem resistir aos novos ritos e às novas doutrinas instaladas na Igreja. Subdividem-se em:

Bi-ritualismo, “ralliés”: São os que gostariam de conservar a Tradição (Liturgia tradicional) ao mesmo tempo que a obediência às autoridades atuais e aos seus princípios, sobretudo aos princípios inovadores do Concílio Vaticano II, aceitando a legitimidade e exatidão doutrinária do Novus Ordo. Calam-se sobre pontos da doutrina tradicional, como preço pago a serem reconhecidos na Igreja hoje. Neste grupo se incluem o Barroux, a Fraternidade São Pedro, o Instituto Cristo Rei. São os que pleiteiam a “missa do indulto” e o bi-ritualismo, isto é, a legitimidade dos dois ritos, o da Missa tradicional e o da Missa nova.

“Sirismo”: Posição do Cardeal Siri, e dos que se assemelham a ele: “Mesmo que Paulo VI seja um papa pouco ortodoxo, é preciso se submeter a ele. … A nova missa é um castigo de Deus para os padres que celebravam mal a missa antes do Concílio” (Card. Siri). Esta posição consiste em aceitar as novidades da autodemolição por espírito de submissão e sofrer com isso. Obedecer e sofrer. Posição muito espalhada também.

2) SEDEVACANTISMO (de várias gamas: desde os mais extremistas até aos mais moderados): baseia-se no mesmo princípio equivocado anterior de não admitir resistência às autoridades. Levados, talvez, até pelo zelo da ortodoxia na Igreja e não podendo conceber que as autoridades favoreçam à heresia, classificam esses desvios doutrinários como heresias formais e concluem que perderam os seus cargos. Os mais extremistas acham que se deva eleger outro Papa e organizar outra hierarquia. Outros acham que a Igreja visível acabou (=heresia!). Alguns acham que a Igreja está sem Papa desde Pio XII. Dividem-se, porém, sobre a causa exata e a data em que tal coisa aconteceu.

3) CISMÁTICOS (recentes)São aqueles que acham que a Igreja atual falhou, separaram-se dela e elegeram um outro Papa. Assim são, por exemplo, os seguidores da igreja de Palmar de Troya, na Espanha e do movimento de Santa Jovita, no Canadá.

4) NOSSA POSIÇÃO NESSA CRISE: Nós, padres de Campos que formamos a União Sacerdotal São João Batista Maria Vianney, (FSSPX) somos católicos apostólicos romanos. Não somos “lefebvristas”, porque não existe, nem nunca existiu “lefebvrismo”, porquanto Dom Marcel Lefebvre não tinha doutrina própria nem formou uma hierarquia própria. Não somos “tradicionalistas”, no sentido de que “tradicionalismo” identifica um partido na Igreja. Somos fiéis à Tradição da Igreja como todo católico sempre foi e sempre deverá ser. Nem cismáticos, nem excomungados como nos acusam, a fim de impressionar a imaginação coletiva e formar um vazio ao nosso redor.

Esta é a também a posição de Dom Marcel Lefebvre, Dom Antônio de Castro Mayer, Fraternidade São Pio X, e dos fiéis em geral ligados à Tradição.

Fonte: Católicos Apostólicos Romanos – Nossa posição, na atual crise da Igreja – Livreto editado pelos “Padres Tradicionalistas de Campos”, antes do acordo com Roma

Publicado originalmente em dez/2015

FUMAR MACONHA É PECADO?

Recentemente, tem-se havido uma grande polêmica pelas notícias de várias legislaturas (pelo mundo) propondo ou mesmo legalizando o uso da maconha para uso “recreativo”. Mas, o que é que a Igreja Católica ensina sobre o uso de maconha e outros entorpecentes? Seu consumo é pecado? 

Resultado de imagem para uso de drogas

Fonte: SSPX USA – Tradução: Dominus Est

Oferecemos duas respostas a estas frequentes questões teológicas-morais, extraídas do livro “As Melhores Perguntas e Respostas” (mais de 300 respostas dos 30 anos de perguntas feitas à revista The Angelus).

É pecado fumar maconha?

Nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus” (1Cor. 6,10). A embriaguez é um excesso deliberado no uso de bebidas ou drogas intoxicantes até o ponto de privar-se forçosamente do uso da razão, para satisfazer um desejo desordenado de beber, e não para promover a saúde. Isto é contrário à virtude da Temperança, e, especificamente, à sobriedade. A sobriedade regula o desejo do homem e o uso de produtos tóxicos, e é vitalmente necessária para uma vida moral reta.

A perversão da intoxicação reside na violência cometida contra a própria natureza, privando-a do uso da razão. Quem age assim se priva do que o torna especificamente humano: sua capacidade de pensar. O bêbado, ou neste caso, o drogado, deseja essa perda da razão por uma sensação de libertação que a acompanha, precisamente pela falta de controle da vontade sobre a razão. É antinatural, ao contrário do sono, que também priva o uso da razão mas de uma forma natural.

O consumo de drogas proporciona um meio de fuga ilícito. Além de ser um pecado, manifesta também imaturidade por parte do usuário. Através de um ato de violência contra si mesmo, escapa da responsabilidade da tomada de decisões e do controle em sua vida. Quando essa privação é completa, por exemplo, a ações totalmente contrárias ao comportamento normal, a incapacidade de distinguir entre o bem e o mal, etc., é um pecado grave. “In vino veritas“, diziam os romanos, e não sem razão. Qualquer estado que não seja uma embriagues completa, sem razão suficiente, é em si mesmo um pecado venial, mas mesmo neste caso pode ser um pecado mortal se provoca escândalo, danos à saúde, danos à família, etc. Devemos enfatizar que um homem é responsável por todas as ações pecaminosas cometidas enquanto intoxicado, a qual ele tinha ou deveria ter previsto que aconteceriam.

Segundo Jone-Adelman, na Teologia Moral, o uso de drogas em pequenas quantidades, e apenas ocasionalmente, é um pecado venial se feito sem razão suficiente. Este poderia ser o caso, por exemplo, dos comprimidos para dormir. Obviamente, a perda do uso da razão através dos narcóticos deve ser julgada como o álcool. O uso da maioria das drogas se complica pelo fato de que são ilegais. Isso também significa a vontade do usuário em infringir a lei, um crime contra a justiça social. Isso agrava o pecado. A velocidade com que a droga altera a consciência também agrava seu uso. Esta velocidade poderia ter um maior potencial para privar-se do uso da razão, e, assim, passar para tóxicos mais fortes para um maior efeito.
Continuar lendo

SIM, HÁ UMA GRANDE DIFERENÇA. ALIÁS, HÁ TODA A DIFERENÇA

É A MESMA MISSA TRIDENTINA? SIM, MAS NÃO O MESMO COMBATE!

Fonte: TradiNews – Tradução: Dominus Est

Na Declaração de 21 de novembro de 1974 de Dom Lefebvre, encontra-se esta alínea relativa à santa Missa: “Não se pode modificar profundamente a Lex orandi sem modificar a Lex credendi.  À missa nova, corresponde catecismo novo, sacerdócio novo, seminários novos, universidades novas, Igrejas carismáticas, pentecostalistas, todas coisas contrárias à ortodoxia e ao magistério de sempre.”

Consequentemente, a Declaração de fidelidade às posições da Fraternidade São Pio X afirma que o rito da missa nova de Paulo VI é “mau em si” pois, ainda que sua validade seja possível, o perigo de invalidade é grandiosíssimo. A razão disso é que “ele se afasta de modo impressionante, no conjunto como no detalhe, da teologia católica da santa Missa” (cf. Breve exame crítico dos cardeais Ottaviani e Bacci), e, em particular, porque 1) o rito favorece uma interpretação protestante da missa; 2) as traduções em línguas vernáculas são ruins e deterioram ainda mais o sentido das palavras da missa; 3) os modos diversos e fantasistas cujos padres a celebram agravam o problema.

Que o novo rito seja mau em si resulta logicamente de um princípio tomista metafísico:Bonum ex integra causa; malum ex quocumque defectu. Ou seja: para que algo seja bom, é preciso que ele o seja sob todas suas relações; para que ele comece a ser mau, basta que ele contenha apenas um único defeito. Ora, o novo rito apresenta três defeitos que, concretamente, se cumulam: o sentido protestante, as traduções defeituosas, os modos fantasistas de celebração. Eis porque ele é mau em si.

Em seguida a Declaração de fidelidade apenas deduz desta conclusão as aplicações pastorais necessárias para os padres membros da Fraternidade São Pio X: Nunca celebrarei a santa Missa de acordo com o novo rito, mesmo sob a ameaça de penas eclesiásticas; e nunca aconselharei quem quer que seja, de modo positivo, a participar ativamente em tal missa.

O estatuto da missa de São Pio V “Ecclesia Dei” goza de um estatuto totalmente diferente. Basta refazer o percurso canônico desta “missa dos ralliés“. No dia 3 de outubro de 1984, ela começa a se beneficiar de um indulto especial intitulado Quattuor abhinc annos, que concede a celebração da missa antiga aos padres e fiéis que “não têm nada a ver com aqueles que questionam a legitimidade e a retidão doutrinal do Missal romano promulgado pelo papa Paulo VI“. Em 2 de julho de 1988, no Motu proprio Ecclesia Dei afflicta, publicado na manhã seguinte da pretendida excomunhão de Dom Lefebvre por João Paulo II, pode-se ler:

“Nas presentes circunstâncias, desejo sobretudo dirigir um apelo, ao mesmo tempo solene e comovido, paterno e fraterno, a todos aqueles que até agora, de diversos modos, estiveram ligados ao movimento do Arcebispo Lefebvre… e de não continuarem a apoiar de modo algum esse movimento… Deverá ser respeitado o espírito de todos aqueles que se sentem ligados à la tradição litúrgica latina, mediante uma ampla e generosa aplicação das diretrizes, já há tempos emanadas pela Sé Apostólica, para o uso do Missal Romano segundo a edição típica de 1962″.

E o fim desta frase remete a uma nota de rodapé: cf. Congregação para o Culto divino. Carta Quattuor abhinc annos, 3-x-1984; D.C. nº 1885 (1984) p. 1124. Portanto, as disposições tomadas em 1988 não são ainda para “aqueles que questionam a legitimidade e a retidão doutrinal do Missal romano promulgado pelo papa Paulo VI“. No Motu proprioSummorum Pontificum, de 7 de julho de 2007, de Bento XVI, pode-se ler no artigo 11:

Que a Pontifícia Comissão Ecclesia Dei, ereta em 1988 por João Paulo II, siga levando adiante sua função”.

Esta é uma referência implícita aos dois documentos precedentes. Portanto, novamente: missa tridentina para aqueles que não se opõem à missa de Paulo VI… A posição Ecclesia Dei não tem nada a ver com aquela da Fraternidade São Pio X. De um lado, prefere-se a missa antiga sem recusar a missa nova; do outro, conserva-se a antiga por princípio e combate-se a nova tirando disso as conclusões lógicas que são impostas para a proteção da Fé dos padres e dos fiéis! Portanto é a mesma missa, mas não é o mesmo combate! Que combate? O combate da Fé!

Pequeno erro nos princípios, catástrofe nas conclusões! Em 1993, por exemplo, o padre Reckenwald, professor do seminário de Wigratzbad (Fraternidade São Pedro) afirmava:

Cooperamos com padres que utilizam o rito novo; alguns deles, aliás, ministram conferências em nosso seminário. Damos nosso apoio, na nova liturgia, para distribuir a comunhão ou assegurar a homilia. Demonstra-se assim que a boa vontade de ambas as partes permite uma coexistência pacífica da antiga e da nova liturgia” (Offerten Zeitung – Apostolisches, nº 11 – nov. 1993, p. 22).

Frequentar a “missa Ecclesia Dei” é renunciar ao combate pela missa e escorregar pouco a pouco rumo à missa de Paulo VI!

Abbé Guy Castelain

Postado originalmente em 07/16. 

Postado novamente hoje para recordação!

AJUDE-NOS NESSA CAMPANHA!

Resultado de imagem para ajudaPrezados amigos, prezados leitores e benfeitores, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vocês que acessam e gostam de nosso blog, vocês que acompanham as ações da FSSPX pelo mundo, vocês que lutam pelo Reinado Social de Nosso Senhor, vocês que sabem que a Tradição é a única solução para a restauração a Igreja… AJUDE-NOS! 

Estamos, mais uma vez, pedindo vossa ajuda nessa campanha em prol da compra de um terreno e futura construção de mais uma Capela para a Tradição e para a Santa Igreja. Sabemos que o caminho é longo e árduo, por isso, toda ajuda é importante.

CLIQUE AQUI E SAIBA COMO!

Faça um gesto nobre de caridade, por amor à Santa Igreja!!

Ad Majorem Dei Gloriam

Aproveitamos para agradecer a todos que nos ajudam ou ajudaram em algum momento nessa campanha, mesmo de forma anônima. Contem com nossas orações.

Que Nossa Senhora os conduza ao caminho da santidade.

03 DE SETEMBRO – DIA DE SÃO PIO X

A festa de São Pio X, patrono titular da Fraternidade, acontece em 3 de setembro e é especialmente homenageada nas capelas da FSSPX como festa de primeira classe.

Fonte: SSPX USA – Tradução: Dominus Est

Desta forma, a festa é celebrada com uma comemoração no domingo, de acordo com as rubricas do Missal Romano. São Pio X foi canonizado pelo Papa Pio XII em 29 de maio de 1954 e uma Missa especial ( Extuli eleum ) foi composta em sua homenagem.

Exaltei aquele que escolhi do meu povo e consagrei com a minha santa unção: minha mão estará sempre com ele e meu braço o sustentará “(Introito). Foi Cristo quem escolheu São Pedro e é Cristo quem fala neste Introito de Sua escolha por Giuseppe Sarto para ser o sucessor de São Pedro. O lema do santo, de “Instaurar todas as coisas em Cristo”, está inscrito na petição da Coleta. Sua humildade, seu espírito inocente e amoroso que ele promoveu a causa do Evangelho é trazido à nossa atenção na Epístola: “…fizemo-nos pequenos entre vós, como a mãe que cerca de ternos cuidados os seus filhos … ansiosamente desejávamos dar-vos não só o Evangelho de Deus mas ainda as nossas próprias vidas, porquanto nos éreis muito queridos“.

Há mais do que uma referência velada à sua posição contra o Modernismo no Gradual, “Não ocultei, no fundo de meu coração, a vossa justiça…”, nem aos seus esforços em favor da comunhão sagrada precoce e freqüente no Aleluia, no Ofertório e na antífona da Comunhão: “Vinde meus filhos, escutai-meMinha carne é verdadeiramente comidaDiante de mim preparais uma mesa“. Devemos ter, acima de tudo em nossa mente, seu grandioso trabalho em nome da sagrada liturgia quando ouvimos Jesus lhe pedir: “Apascente meus cordeiros, apascente meus cordeiros, apascente minhas ovelhas ” (Evangelho).

Pe. P. Parsch, 1958, adaptado e abreviado.

 

Outros dois textos que publicamos sobre essa Festa os senhores podem ler aqui e aqui.

DOM TISSIER CONFERE A TONSURA, ORDENS MENORES E SUBDIACONATO EM GOULBURN, NA AUSTRÁLIA

Concluindo uma estadia de duas semanas no Distrito de Austrália e Nova Zelândia, Sua Excelência Mons. Tissier de Mallerais visitou Goulburn para a cerimônia anual de ordenação, no Seminário da Santa Cruz, durante a festa de Assunção. Seminaristas de quatro diferentes anos de formação receberam a tonsura ou uma das ordens que permitem o acesso ao sacerdócio.

Fonte: La Porte Latine – Tradução: Dominus Est

CERIMÔNIA DE TONSURA

Foi durante a festa da Assunção de Nossa Senhora, que D. Tissier de Mallerais , bispo auxiliar da Fraternidade Sacerdotal São Pio X , conferiu a tonsura três estudantes do Seminário da Santa Cruz de Goulburn, na Austrália.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Estes três seminaristas fazem seus estudos em Goulburn mesmo, onde a FSSPX possui um seminário dirigido pelo Pe. Daniel Themann, que chamou os três futuros clérigos a comparecer perante o celebrante.

Os três novos tonsurados são:

– Pe. Pius Kim, da Coréia do Sul 
– Pe. Mikhail Del Rosario, da Nova Zelândia 
– Pe. Phillip Mujic, da Austrália.

CERIMÔNIA DAS PRIMEIRAS ORDENS MENORES

Este slideshow necessita de JavaScript.

D.Tissier de Mallerais conferiu as ordens menores de Exorcista e Acólito ao Pe. Martin Anozie,da Nigéria, e de Porteiro e Leitor aos senhores padres Daniel Yagane Cyril Alolaya, ambos das Filipinas, e Pe. Joseph Manyeki, do Quênia.

CERIMÔNIA DE ORDENAÇÃO AO SUB-DIACONATO

Este slideshow necessita de JavaScript.

Destacamos particularmente, a nova etapa do reverendo John Mwangi, do Quênia, que recebeu uma das ordens maiores, sendo ordenado sub-diácono.

Deo Gratias!

**************************

“Senhor, dai-nos sacerdotes,

Senhor, dai-nos santos sacerdotes,

Senhor, dai-nos muitos santos sacerdotes,

Senhor, dai-nos muitas santas vocações religiosas,

Senhor, dai-nos famílias católicas, 

São Pio X, rogai por nós”

 

VALOR DIGNO DE IMITAÇÃO

1O famoso orador P. Sarabia narra o seguinte fato.

“Vivíamos então em plena revolução comunista. As greves socialistas tinham envenenado os nossos operários e cada dia era maior o número dos que militavam sob bandeiras vermelhas. Eram muitos e muito ousados… porque os governos liberais não defendiam os direitos da ordem e da verdade.

Poucas eram as procissões, que, naquele tempo, saíam à rua; em algumas regiões, as poucas que saíam raramente voltavam à igreja em paz sem serem molestadas.

Certo dia, em Bilbao, os católicos organizaram uma soleníssima procissão. Todas as forças católicas, levando suas bandeiras e estandartes, haviam de subir ao santuário de sua rainha e Senhora, a Virgem de Begoña.

E marchavam aquelas filas intermináveis de fervorosos católicos, ao som de magníficos hinos religiosos, com a fronte erguida e o coração tranquilo… e marchavam como quem exerce um direito e representava a verdade e a glória. De repente ouve-se um tiro… Houve um momento de confusão… Soou outro tiro… e logo mais outro… Não restava dúvida, os ferozes socialistas estavam escondidos atrás de alguma sacada e dali descarregavam suas armas, impunemente, sobre os católicos… Houve um momento em que as filas se cortaram e alguns correram a esconder-se nas estradas das casas. Não foi mais do que um instante.

Logo se refizeram os valentes bilbaínos e subiam à igreja à frente da santa imagem de sua Rainha e Senhora. E não eram poucos os valentes que se metiam pelas ruas e pelas casas à caça dos covardes que pretendiam estorvar o triunfo da Virgem.
Contudo os tiros aumentavam… O alvo preferido era o estandarte da Imaculada carregado pela presidente das Filhas de Maria… Estava já várias vezes perfurado de balas…
Continuar lendo

ESPECIAIS DO BLOG: TRATADO DOS ESCRÚPULOS

Resultado de imagem para escrupulo

Em mais uma “Operação Memória” de nosso blog, trazemos novamente os links para os capítulos de um livro chamado “Tratado dos Escrúpulos de Consciência“, do Abade Grimes, que trata de um assunto muito interessante e que, infelizmente, afeta muitos católicos.

UMA SELEÇÃO DE BELAS IMAGENS DA PEREGRINAÇÃO DA FSSPX À FÁTIMA

Prezados amigos, leitores e benfeitores, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Postamos abaixo uma seleção das mais belas fotos da Peregrinação Internacional da FSSPX à Fátima, pela comemoração do centenário das aparições de nossa Mãe Santíssima em Portugal.

Que Nossa Senhora ouça nossas súplicas e orações e possa olhar com benevolência pelo Seu povo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

As reportagens e fotos gerais dessa Peregrinação podem ser vistas aqui: Primeiro dia e Segundo dia.

FOTOS DO SEGUNDO DIA DA PEREGRINAÇÃO INTERNACIONAL DA FSSPX À FÁTIMA (20/08)

MISSA PONTIFICAL

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Missa Pontifícal foi celebrada por D. Bernard Fellay, Superior Geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, assistido pelo Pe. Niklaus Pfluger e Pe. Alain-Marc Nély, que respectivamente são Primeiro e Segundo Assistentes Gerais da Fraternidade.

O padres assistentes foram Pe. Yves le Roux, Superior do Semiário São Tomás de Aquino (Dyllwin/EUA), Pe. Christian Thouvenot , Secretário-Geral, e Pe. Pablo Suarez, Tesoureiro Geral, que foram, respectivamente, diácono e subdiácono da cerimônia solene.

ATO DE CONSAGRAÇÃO DA RÚSSIA

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pronunciada por Dom Bernard Fellay, Superior Geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X,  D. Bernard Tissier de Mallerais e D. Alfonso de Galarreta, bispos auxiliares.

“Prostrados aos pés de vosso trono de graça, ó Rainha do Santíssimo Rosário, nós nos propomos cumprir tudo quanto o que de nós exigiu, que vós exprimirdes em vossa vinda, há cem anos, aparecendo a nós nesta terra.

Os abomináveis pecados ​​do mundo; as perseguições à Igreja de Jesus Cristo; mais ainda a apostasia das nações e o abandono das almas cristãs; e também o esquecimento de vossa maternidade de graça por muitos, sobrecarregam vosso Coração doloroso e Imaculado, tão unido em sua compaixão aos sofrimentos do Sagrado Coração de vosso divino Filho.

A fim de reparar tantos crimes, tendes solicitado o estabelecimento da devoção reparadora ao vosso Coração Imaculado; e, a fim de deter os flagelos de Deus que predissestes, fizestes-vos a mensageira do Altíssimo para exigir do Vigário de Jesus Cristo, unido a todos os bispos do mundo, a consagração da Rússia ao vosso Imaculado Coração. Infelizmente, vossa mensagem ainda não foi levada em consideração.

Por causa disso, a fim de antecipar o feliz dia em que o Soberano Pontífice finalmente irá aderir aos pedidos de vosso Divino Filho; sem querer atribuir uma autoridade que não nos pertence, mas por uma humilde súplica dirigida ao seu Coração Imaculado, em nosso título de bispos católicos, imbuídos de preocupação com o destino da Igreja universal e unidos a todos os sacerdotes e crentes fiéis, estamos empenhados em responder, por nossa parte, os pedidos do Céu.

Dignai-vos, ó Mãe de Deus, aceitar em primeiro lugar esse ato solene de reparação que nós apresentamos ao vosso Imaculado Coração por todas as ofensas com as quais, junto ao Sagrado Coração de Jesus, está sobrecarregado pelos pecadores e ímpios.

Em segundo lugar, nós damos, entregamos e consagramos, na medida do possível, a Rússia ao vosso Coração Imaculado: nós vos suplicamos, em vossa maternal misericórdia, que tomais esta nação sob sua poderosa proteção, de torna-la vosso domínio onde reine como rainha, uma terra predicta e abençoada. Nós vos suplicamos que vos sujeite tão bem a essa nação para que se torne um novo reino para Nosso Senhor Jesus Cristo, uma nova herança para seu cetro suave. Que retornando também de seu antigo cisma, ela volte para a unidade do único rebanho do Pastor eterno, e, que, submissa ao Vigário de vosso Divino Filho, torne-se um fervoroso apóstolo do Reinado social de Nosso Senhor Jesus Cristo no todas as nações da terra.

Nós vos suplicamos, ó Mãe de misericórdia, por esse milagre tão maravilhoso de vosso poder suplicante, para manifestar ao mundo a verdade de vossa mediação universal da graça. Dignai-vos, finalmente, ó Rainha da Paz, trazer ao mundo a paz que o mundo não pode dar, a paz das armas e a paz das almas, a paz de Cristo no Reinado de Cristo, e o Reinado de Cristo por meio do reinado de seu Coração Imaculado, ó Maria! Amém.”

TERÇO

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por volta das 15 horas, em um lugar chamado “Os Valinhos”. onde a temperatura atingiu 39°C, e sob a sombra das oliveiras, os peregrinos rezaram o terço, com o qual se deu o encerramento da Peregrinação pelo centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima.

Os fiéis vindos de todo o mundo, meditaram os mistérios gloriosos graças a pregação dada em português e francês pelo Pe. Bertrand Labouche, que foi Prior de Portugal por 10 anos. O terço foi rezado ao redor da imagem de Nossa Senhora, que visitou este lugar em 19 de agosto de 1917, ou seja, quase exatamente cem anos atrás.

Durante a meditação do segundo mistério glorioso, foram citadas estas firmes palavras de São Pio X sobre o Santíssimo Rosário: “De todas as orações, é a mais bela, a mais rica em graças; é a oração que toca mais o coração da Mãe de Deus … se querem que a paz reine em suas casas, rezem o rosário em família, é a mais bela depois da oração da Santa Missa. Dê-me um exército de reze o rosário, e conquistarei o mundo!

Pe. Philippe Brunet, atual Superior da Casa Autônoma da Espanha e Portugal dirigindo-se aos mais de 9000 peregrinos presentes, disse: “Somos parte desse exército que deve cristianizar o mundo!

Para ver as fotos do primeiro dia, clique aqui.

FOTOS DO PRIMEIRO DIA DA PEREGRINAÇÃO INTERNACIONAL DA FSSPX À FÁTIMA (19/08)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Milhares de pessoas viajaram a Fátima para a Peregrinação internacional organizada pela FSSPX, nos dias 19 e 20 de Agosto, para marcar o centenário de aparições de Nossa Senhora.

A MISSA

A Missa solene de abertura foi celebrada pelo Pe. Franz Schmidberger (Superior do Seminário da Alemanha), assistido pelo Pe. Karl Stehlin (Superior do Distrito da Ásia) como diácono, e o Pe. Pascal Schreiber (Superior do Distrito Suíço) como subdiácono, na presença dos três Bispos da Fraternidade e cercado por 275 padres e seminaristas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Durante seu sermão, o padre Schmidberger recordou a atualidade da mensagem de Nossa Senhora em Fátima, convidando os peregrinos a oferecerem seus sofrimentos pela Igreja, para superar a crise que abala, e no final o coração Mary triunfo imaculado.

 A PROCISSÃO

Este slideshow necessita de JavaScript.

Peregrinos reunidos em uma grande procissão seguindo para o lugar das primeiras aparições para rezar a  Nossa Senhora de Fátima a fim de verem o triunfo do seu Coração Imaculado

A RECITAÇÃO DO TERÇO

Este slideshow necessita de JavaScript.

Peregrinos se ajoelham perante a imagem de Nossa Senhora, em Valinhos, em torno dos três bispos da FSSPX, os Assistentes e Superiores Gerais.

Estiveram presentes mais de 300 sacerdotes, Irmãos, Seminaristas, 50 Irmãs e Oblatas da Fraternidade, 60 Professoras Dominicanas e muitas outras religiosas de comunidades amigas.

VIGÍLIA DIANTE DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

Este slideshow necessita de JavaScript.

Durante toda a noite os fiéis ficaram em companhia de Nosso Senhor em uma adoração silenciosa, por vezes pontuada pela recitação do rosário. Muitos sacerdotes, religiosos, religiosas, da FSSPX e de comunidades amigas, permaneceram em adoração, junto aos fiéis durante toda uma longa noite de súplicas a ações de graça.

Mesmo nas horas mais “profundas” da noite – entre 01:00h e 4:00h – o Santíssimo Sacramento foi adorado sempre por muita dezenas de pessoas.

Veja também as fotos do segundo dia. Clique aqui

AI DA DUPLICIDADE!

Resultado de imagem para dois caminhosAi dos corações divididos, dos lábios criminosos, das mãos depravadas e do pecador, que pretende entrar na terra por dois caminhos!

Ai dos corrompidos de coração, que não crêem, e por isso não serão protegidos!

Ai de vós, que perdestes a perseverança e abandonastes os caminhos retos, extraviando-vos por caminhos depravados!

Que haveis de fazer, quando o Senhor começar a pedir constas?

Os que temem o Senhor não são rebeldes às suas palavras, os que o amam observam seus caminhos.

Os que temem o Senhor procuram o que lhe agrada, os que o amam saciam-se com a sua Lei.

Os que temem o Senhor preparam seus corações e na sua presença se purificam

Os que temem o Senhor guardam seus mandamentos e perseveram até a sua vinda.

Eles dizem: “Mesmo não convertidos cairemos nas mãos do Senhor e não nas dos homens, pois tamanha é a sua grandeza, tão grande é a sua misericórdia!”

Eclo 2, 14-23

ESPECIAIS DO BLOG: A AVE MARIA

Resultado de imagem para imaculado coração

Em mais uma “Operação Memória” de nosso blog, trazemos novamente os links para as explicações da Ave Maria, segundo São Tomás de Aquino:

OBS: Como é perceptível, há apenas a primeira parte da Ave Maria. Lembramos que a segunda parte da Oração foi acrescentada apenas nos séculos XV e XVI.

COMEÇA AMANHÃ A PEREGRINAÇÃO INTERNACIONAL DA FSSPX, EM FÁTIMA

Inicia-se amanhã a Peregrinação Internacional da FSSPX à Fátima, por ocasião do centenário das aparições de Nossa Senhora em Portugal.

Rezemos pelos 10.000 fiéis (de cerca de 60, dos 72 países atendidos pela FSSPX) esperados nesse evento (considerada a maior Peregrinação desse ano do Centenário) e, em particular, aos nossos muitos amigos brasileiros que estão lá. Toda essa gente será guiada por mais de 100 padres e 150 seminaristas da Fraternidade, bem como seus 3 Bispos.

Pedimos que, pela intercessão de nossa Mãe Santíssima, Nosso Senhor tenha misericórdia de Seu povo, nos proteja e ouça com benevolência nossas orações e suplicas, em especial, as da Cruzada de Rosários iniciada em 2016.

Rezemos pela proteção da FSSPX em seu combate pela verdadeira fé. Rezemos pela Igreja, nesse momento de imensa crise.

Deus, nosso refúgio e fortaleza, olhai propício para o povo que a Vós clama; e, pela intercessão da gloriosa e imaculada Virgem Maria, Mãe de Deus, de S. José, seu Esposo, dos vossos bem-aventurados Apóstolos S. Pedro e S. Paulo e de todos os Santos, ouvi misericordioso e benigno as preces que Vos dirigimos para a conversão dos pecadores, para a liberdade e exaltação da Santa Madre Igreja. Pelo mesmo Jesus Cristo Senhor Nosso. 

R: Amém

Deus, refugium nostrum et virtus, populum ad te clamantem propitius respice; et intercedente gloriosa et imaculata Virgine Dei Genitrice Maria, cum beato Joseph, ejus sponso, ac beatis apostolis tuis Petro et Paulo, et omnibus sanctis, quas pro conversione peccatorum, pro libertate et exaltatione sanctæ Matris Ecclesiæ, preces effundimus, misericors et benignus exaudi. Per eumdem Christum Dominum nostrum.

R: Amém

DIANTE DA IMAGEM DE MARIA

jovemEra Margarida uma jovem de dezesseis anos. Seu pai fora maçom; sua mãe, nada piedosa.

Educaram-na numa escola onde não se pronunciava o nome de Deus; mas Nosso Senhor amava aquela menina. De caminho para a escola, ao passar por uma igreja, sentia-se impelida a entrar a ali permanecia algum tempo a olhar para o altar.

Muitas vezes e de maneira maravilhosa falou Deus ao coração daquela menina, que, às escondidas, chegou a confessar-se e a comungar.

A falta de religião no lar bem depressa a fez esquecer essas inspirações divinas.

Não era má, nunca dera escândalo, mas nunca rezava nem ia à Missa. Só pensava em divertir-se com as amigas, entregando-se com elas a bailes e passeios. Deus, porém, não permitiu que seu coração se manchasse de impurezas.

Era o primeiro dia da novena de Nossa Senhora do Carmo. Algumas moças, levando jarros, velas e flores, entraram na igreja, onde ia começar a novena solene. Margarida, que passava por ali com suas alegres companheiras, sentiu um não sei o quê no coração e, dirigindo-se às outras, disse: Continuar lendo

DE PERVERSÃO A DOM DE DEUS. E DEPOIS DE BERGOGLIO?

Resultado de imagem para bergoglioPe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa

Diante dos últimos acontecimentos na Igreja – refiro-me ao sermão do bispo de Caicó, à correspondência do Vaticano sobre o batismo de crianças “educadas” por parceiros homossexuais e à inacreditável declaração de Bergoglio a um bispo canadense: a Igreja não precisa preocupar-se tanto com a escassez de sacerdotes porque o futuro da Igreja está mais na Bíblia do que na Eucaristia -, diante de fatos de uma gravidade assombrosa, creio que não há católico que não se pergunte em seu íntimo que será da Igreja dentro de poucos anos.

Os chamados católicos Ecclesia Dei Adflicta depositam todas suas esperanças em purpurados da ala conservadora como um Sarah ou um Burke ou quem sabe até um Muller (Que conservará este?), na expectativa de que num próximo conclave um deles venha a ser eleito papa e possa sanar a confusão reinante na Igreja, debelar a anarquia crescente e impedir o caos. Desejam um papa Napoleão que, com energia, impeça os excessos e consolide a revolução do Vaticano II e a doure com o brilho de uma aguada liturgia de “São João XXIII”. Almejam só a Pax liturgica.

Sinceramente, não me parece que seja o melhor remédio para o letal câncer modernista que devasta a Igreja. Equivaleria a combater apenas os efeitos, seria um paliativo sem remover as causas do mal.

Neste ponto, cumpre reconhecer que Francisco I é, sim, fiel à letra e ao espírito do Vaticano II. É preciso também reconhecer que a melhor interpretação do Vaticano II, no que diz respeito à ética sexual e familiar, é a que, em linguagem muito simples e acessível a todos, expôs o cardeal Carlo Maria Martini SJ em seu livro Diálogos noturnos em Jerusalém, obra importantíssima para entender bem todo o pontificado de Francisco I. Continuar lendo