IMMUTEMUR HABITU

Cantada na imposição das Cinzas..

“Immutemur habitu in cinere et cilicio; jejunemus, et ploremus ante Dominum; quia multum misericors est dimittere peccata nostra Deus noster.”

“Mudemos as nossas vestes pela cinza e o cilício. Jejuemos e choremos diante do Senhor, porque Deus é infinitamente misericordioso e perdoa os nossos pecados.”

SERÁ O CANTO GREGORIANO EM BREVE A REGRA EM VEZ DA EXCEÇÃO?

Em artigo publicado neste Natal por Crux, a tendência orgânica para a atração dos jovens católicos pela beleza do canto gregoriano foi enaltecida com otimismo.

Fonte: SSPX -USA (Agradecemos ao nosso amigo Sr. Adolfo J. G. Correa pela tradução)

O artigo menciona o experimento realizado em St. John the Beloved Catholic Church, localizada em McLean, Virginia, onde o Canto Gregoriano tornou-se uma genuína atração. A princípio, o retorno ao canto gregoriano foi perturbador para alguns dos paroquianos. Mas, recentemente, começou a atrair mais e mais fiéis e provoca a curiosidade por parte dos recém-chegados.

Para o diretor musical de St. John the Beloved, James Senson, a principal razão da crescente popularidade do canto gregoriano consiste no fato de que ele “é uma parte da Igreja. É o texto da Igreja”.

O artigo publicado em Crux cita ainda o seminarista do Colégio Teológico, Gabe Bouck, dizendo que «a liturgia deve falar para a glória de Deus» e:

“…a liturgia é o ápice de qualquer tipo de experiência de adoração que jamais encontraremos deste lado da eternidade. Então, se eu sei que não há nada maior nessa terra que eu possa fazer do que adorar a Deus, então tudo o que se passa naquela liturgia precisa ser o melhor e o mais belo do que pudermos transmitir“. Continuar lendo

PANGE LINGUA GLORIOSI

Canta, minha língua
Este mistério do corpo glorioso,
E do sangue precioso,
Que, do fruto de um ventre generoso
O rei das nações derramou
Como preço da redenção do mundo.

Dado a nós, por nós nascido
De uma intacta virgem,
E no mundo vivendo,
Espalhando a semente da palavra,
O tempo certo da sua permanência
Encerrou no rito admirável.

Na ceia da última noite
Reclinando-se com seus irmãos
Tendo observado plenamente
A lei da festa prescrita,
Deu a si mesmo com as suas mãos
Somo alimento ao grupo de doze

O verbo encarnado, o pão real
Com sua palavra muda em carne:
O vinho torna-se o sangue de cristo,
E como os sentidos falham,
Para firmar um coração sincero
Apenas a fé é eficaz.

O sacramento tão grande
Veneremos curvados:
E a antiga lei
Dê lugar ao novo rito:
A fé venha suprir
A fraqueza dos sentidos.

Ao pai e ao filho
Saudemos com brados de alegria,
Louvando-os, honrando-os, dando-lhes
Graças e bendizendo-os:
Ao espírito que procede de ambos
Demos os mesmos louvores.

Amém. Continuar lendo

ADESTE FIDELES

….Cantado pelas meninas da Missão da FSSPX em Ribeirão Preto.

Adeste fideles, læti triumphantes (Acorrei fiéis, alegres, jubilosos!) 

Venite, venite in Béthlehem (Vinde, vinde a Belém)

Natum videte Regem angelórum (Vede nascido o rei dos anjos)

Venite, adorémus, Venite adorémus (Vinde Adoremos, Vinde Adoremos)

Venite, adorémus, Dóminum (Vinde Adoremos ao Senhor)

***************************

Ingrége relicto, húmiles ad cúnas (Abandonando os rebanhos, encaminham-se ao presépio)

Vocati pastores appróperante (Os pastores deslumbrados!)

Et nos ovánti grádu festinémus; (Também nós, por nossa vez, corramos todos vibrantes)

Venite, adorémus, Venite adorémus (Vinde Adoremos, Vinde Adoremos)

Venite, adorémus, Dóminum (Vinde Adoremos ao Senhor)

*****************

Aetérni Paréntis splendórem ætérnum (O eterno esplendor do Pai)

Velátum sub cárne vidébimus (Ali veremos oculto, sob o véu da carne humana)

Déum infántem, pánnis involútum (Ao Deus, que Se fez menino, envolto em pobres panos)

Venite, adorémus, Venite adorémus (Vinde Adoremos, Vinde Adoremos)

Venite, adorémus, Dóminum (Vinde Adoremos ao Senhor)

*********************

Pro nóbis egénum et foéno cubántem (A Quem por nós Se fez pobre, e jaz em palhas deitado)

Piis foveámus ampléxibus (Abracemos e aqueçamos)

Sic nos amántem quis nom redamáret? (Como ficar sem amar Àquele que tanto nos ama?)

Venite, adorémus, Venite adorémus (Vinde Adoremos, Vinde Adoremos)

Venite, adorémus, Dóminum (Vinde Adoremos ao Senhor)