PAPA FRANCISCO – CARDERAL SARAH: O ENTENDIMENTO ACOLHEDOR

CARDEAL SARAH DECLARA ADERIR PLENAMENTE À AÇÃO DO PAPA FRANCISCO

Fonte: La Porte Latine – Tradução: Dominus Est

O cardeal Sarah, frequentemente apresentado pelos conservadores como um oponente firme à linha liberal do Papa Francisco, recusou claramente qualquer diferença entre eles (La Croix , 9 de outubro de 2019).

Citações:

“A Igreja é representada na terra pelo vigário de Cristo, ou seja, o papa. E quem é contra o papa está “ipso facto” fora da Igreja.”

“Aqueles que me opõem ao papa não conseguem apresentar uma só de minhas palavras, uma só de minhas frases ou uma só de minhas atitudes em apoio a suas declarações absurdas e, diria eu, diabólicas”.

Ele defende “a análise incomparável do pensamento de Bento XVI com a grande e brilhante ação de Francisco”; além disso, “todo papa é” apenas “para sua época”.

“Na evidente diferença de sensibilidade, há uma grande harmonia e uma grande continuidade entre eles, como todos viram com o passar dos anos”.

“Devemos sempre interpretar as palavras do papa Francisco com a hermenêutica da continuidade”.

Que todos os conservadores e institutos Ecclesia Dei ouçam, portanto, este chamado a aderir de todo o coração à brilhante ação de Francisco, examinando a harmonia com a Tradição.

*************************

Outro texto interessante sobre esse assunto, publicado dias atrás:

Outro ainda é esse:

CONTRIBUA CONOSCO, PRECISAMOS DE SUA AJUDA!

CAPELA“A caridade é paciente, a caridade é benigna; não é invejosa, não é altiva nem orgulhosa; não é inconveniente, não procura o próprio interesse; não se irrita, não guarda ressentimento; não se alegra com a injustiça, mas alegra-se com a verdade; tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. (1 Cor 13, 4)

***************************************************************

Sabemos que o mundo que vivemos é movido por ideias, por sonhos, por propósitos que são transformados em realidade por aqueles que, como o(a) senhor(a), lutam, batalham, enfrentam a vida de frente. Por vezes, em busca dessas ideias, podemos nos deparar com circunstâncias desfavoráveis, com reveses, com situações que podem nos desanimar, nos irritar em demasia, que podem fazer com que, ainda que por um pequeno lapso de tempo, pensemos em abandonar tudo.

Nessas horas desfavoráveis, onde tudo parece nos escapar, sempre recorremos ao nosso Pai celestial, clamando por suas bênçãos, por sua proteção e pela força necessária para continuarmos.

Tratando ainda das ideias, há ideias boas e ideias ruins, há ideias que serão benéficas para todos, enquanto que há ideias que trarão prejuízos para muitos. O empreendedor, por exemplo, ao se propor um negócio, visa, além de garantir seu sustento, proporcionar à sociedade algo que gerará renda, riquezas, empregos, bens para todos.

O jovem que quer ser professor, ao se propor tal nobre função, visa, além de realizar seu sonho, seu propósito, transmitir a milhares de jovens conhecimentos que lhes serão valiosos na busca de suas próprias ideias. Continuar lendo

A CRISE CLIMÁTICA É UMA FANTASIA

Seria melhor para Greta se em vez da ONU a tivessem levado à Disney

Fonte: Boletim Permanencia

Um grupo de 500 cientistas e profissionais da ciência climática notificou oficialmente as Nações Unidas de que não há crise climática e que gastar trilhões de dólares nesse não-problema é “cruel e imprudente”. É claro que a carta, datada de 24 de setembro, foi censurada pela grande mídia que só tem olhos para Greta Thumberg, a nova sacerdotisa da emergência climática.

Lançada por Guus Berkhout, geofísico e professor emérito da Universidade de Haia, na Holanda, essa iniciativa é resultado de uma colaboração de cientistas e associações de treze países. Publicada em um momento em que a agenda internacional mais uma vez coloca o clima no topo da lista de preocupações, esta “Declaração Européia sobre o Clima” afirma categoricamente que não há urgência ou crise climática. Por isso, exige que as políticas climáticas sejam completamente redesenhadas, reconhecendo, em particular, que o aquecimento observado é menor que o esperado e que o dióxido de carbono, longe de ser poluente, é benéfico para a vida na Terra.

Os signatários convidam seus oponentes a organizar com eles, em 2020, uma reunião construtiva de alto nível para debater o aquecimento global.

Eis a carta: Continuar lendo

NÃO É BRINQUEDO, NÃO

Querem uma geração do vale tudo

Fonte: Boletim Permanencia

Quarta-feira passada, dia 25 de setembro, a companhia de brinquedos Mattel – a criadora da Barbie – lançou uma nova linha de bonecas. A novidade é que elas não têm “gênero” definido: tanto podem ser menino, menina, ambos ou nenhum dos dois. Um monstro polimorfo. E quem irá escolher será a criança!

“As crianças não querem que seus brinquedos sejam ditados por normas de gênero”, diz a declaração da Mattel.

A coleção inclui vários tipos de acessórios como jaquetas, calças, chapéus, etc., além de tipos de cabelo e cor de pele diferentes. Tudo para “celebrar o impacto positivo da inclusividade”. Não bastasse isso, ainda reduziram o busto da Barbie e os ombros do Ken para, em nome da neutralidade de “gênero”, contemplar as crianças que se identificam como “gênero fluído”.

O vídeo para a promoção da coleção é impublicável.

Sim, o pequeno filme promocional usa crianças para promover a ideologia de gênero. Crianças ‘fantasiadas’ de “não-crianças” para vender um produto fruto da imaginação de adultos, que dizem entender as crianças:

“As crianças agora, especialmente as menores de dez anos, experimentam o “gênero” de um modo muito diferente. Nós vamos desafiar o ponto de vista das pessoas de como as crianças devem brincar” – diz o comercial.

A contradição é evidente. Primeiro eles querem que as crianças brinquem livremente (sem normas de “gênero”), depois admitem que vão desafiar o senso comum. Não desejam sequer uma geração livre para escolher – o que já seria absurdo – mas obrigada a seguir sua agenda desde o berço.

18ª FORMAÇÃO FSSPX: 50 ANOS DA MISSA NOVA

05_Cartaz_Formacao_2019Outros excelentes artigos sobre a Missa Nova podem ser lidos nesses links:

PAQUISTÃO: CRISTÃO DE 11 ANOS ESPANCADO ATÉ A MORTE POR SEU PATRÃO

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Uma criança cristã de 11 anos foi espancada até a morte por seu empregador muçulmano em 11 de julho de 2019, em Faisalabad, no nordeste do Paquistão. De acordo com a agência de notícias católica AsiaNews, a criança pediu ao seu empregador um empréstimo de 180 rúpias, ou 1 euro, para despesas necessárias para a sobrevivência de sua família. O proprietário, posteriormente, assediou a criança para ser reembolsado.  

O jovem trabalhador então voltou para casa, pegou emprestadas 150 rúpias de sua mãe e depois voltou ao seu local de trabalho – um depósito de lixo – para pagar sua dívida e pedir demissão. Furioso, o patrão e o irmão bateram na cabeça dele com barras de ferro. A criança morreu diante dos olhos de sua mãe.  

De acordo com L’Osservatore Romano, que também relatou esse sinistro incidente, os autores ainda estão à solta.

**************************

Uma outra matéria mostra-se que os cristãos são o grupo religioso mais perseguido no mundo:

Em 2018, o Index Mundial de Perseguições mencionou 215 milhões de cristãos perseguidos por sua fé. Em 2019, esse número foi revisado e aumentou para “mais de 245 milhões”. É 1 em cada 9 cristãos no mundo. Na Ásia, as estatísticas são ainda mais impressionantes: 1 em cada 3 cristãos estão em risco de perseguição (leia o post aqui).

EUA: OS AMERICANOS NÃO ACREDITAM MAIS NA PRESENÇA REAL NA MISSA

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Dois terços dos católicos norte-americanos não acreditam mais na presença real: esse é o resultado de um estudo publicado pelo Pew Research Center em em 5 de agosto de 2019. Uma declaração contundente que destaca a solução para a continuidade na transmissão da fé no coração de um Ocidente secularizado. 

Quando perguntados sobre o dogma da transubstanciação, dogma católico no coração do sacrifício da Missa, 69% dos católicos americanos dizem não professá-lo, vendo mais as santas espécies após a consagração como “símbolos do corpo e do sangue de Cristo “.

O número de católicos que acreditam na presença real certamente aumenta em proporção ao grau da prática religiosa, mas não tanto quanto se esperava: assim, entre aqueles que frequentam a missa ao menos uma vez por semana, 37% deles não professam este dogma fundamental da fé católica, e confessam ao contrário, uma concepção protestante da Eucaristia. 

Por fim, o estudo põe o dedo na espinhosa questão da transmissão da fé e da Tradição, pois quanto mais jovens os entrevistados, menos acreditam que o pão e o vinho se tornam, na Missa, o Corpo e o Sangue de Cristo, a vítima ou hóstia perfeita oferecida em remissão dos nossos pecados. 

Um sinal de perigo para toda a igreja 

A pesquisa da Pew Research tem que ser levada a sério: cerca de 11.000 respostas de amostras representativas da sociedade americana foram assim tratadas e ponderadas. Mons. Robert Barron, Bispo Auxiliar de Los Angeles reconheceu isso. O prelado reagiu em 6 de agosto de 2019: “É difícil expressar a indignação que sinto depois de ler o último estudo da Pew Research (…). É um sinal de perigo para toda a Igreja. Então, em um vídeo, Mons. Barron comentou sobre essa ruptura na transmissão da fé com estas palavras: “todos temos nossa parcela de culpa, é o fracasso de toda a Igreja que não pode dar contas de sua própria Tradição“. 

A conclusão é bem lúcida: pode-se levar a um exame não menos corajoso das causas que provocaram tal obscurecimento das verdades mais elementares da fé: a Igreja, quando é secularizada, e cuja liturgia celebra mais o homem que seu Criador e Redentor, não é mais capaz de transmitir o depósito da fé e, por conseguinte, o Evangelho de Cristo. É a razão pela qual Monsenhor Marcel Lefebvre denunciou a protestantização da Missa através da reforma litúrgica do Papa Paulo VI, cuja proximidade com a “Missa de Lutero” causou a perda da fé.  

Humildade, a discernimento e a conversão são certamente os eixos principais para a Igreja recuperar plenamente das riquezas de sua Tradição. 

DESCONSTRUINDO O CONSTRUTIVISMO

Fonte: Boletim Permanencia

A matéria saiu na Gazeta do Povo e está aberta ao acesso de não-assinantes. Na verdade, o texto deveria ser repassado de mão em mão até que todos lessem – alguns, as vítimas do construtivismo, com mais dificuldade do que outros.

Segue abaixo uma edição resumida do texto, mas recomendamos a sua leitura integral e da pesquisa que lhe serviu de fundamento.

Alunos aprendem quando o ensino é sistemático, explícito, em que o estudante não orienta o andamento das aulas, mas segue o professor, que é quem comanda o processo de aprendizagem. Isso é o que aponta uma pesquisa publicada na mais conceituada revista acadêmica de Educação do mundo, a Review of Educational Research, primeira no ranking de impacto do Scimago Journal Ranking, indicador internacional utilizado para medir a qualidade de estudos científicos.

A partir de um levantamento feito com resultados de 328 estudos publicados em 50 anos, entre 1966 e 2016, sobre diferentes métodos para ensinar, focando em 4 mil efeitos, quatro pesquisadores da Universidade de Oregon chegaram à conclusão que a “instrução direta”, que parte do princípio que todos os alunos podem aprender, desde que recebam instruções bem planejadas, tem resultados mais robustos comparados com outros métodos.

Os alunos na instrução direta aprendem mais e com rapidez. Além disso, ao longo do tempo, têm mais autoestima e não perdem o que aprenderam, mesmo se submetidos a um método pior.

Segundo a pesquisa, isso é assim porque, pelas evidências científicas, na instrução direta:

  • os alunos dominam conhecimentos básicos que são pré-requisito para conceitos mais complexos – busca-se que o aluno tenha um repertório mínimo para cada etapa antes de avançar;
  • a instrução é clara, não ambígua;
  • ao invés de ter um conceito defeituoso formado por si mesmo, o aluno aprende diretamente (não precisa ‘reinventar a roda’) – dito em outras palavras, o estudo mostra que é mais fácil aprender algo novo do que corrigir um conceito defeituoso, mal aprendido;
  • o aluno está na série correta de acordo com o que sabe, nem à frente, nem atrasado;
  • o aluno recebe um reforço positivo para celebrar seus avanços e, só depois de aprender o básico, é estimulado a produzir ciência (investigar e desenvolver novos conhecimentos).

A matéria avança no detalhamento da pesquisa e suas conclusões e, como já dissemos, é leitura obrigatória para os pais com filhos em idade escolar.

O VALOR DE UMA ORAÇÃO

O gráfico abaixo pretende ter mapeado a oração mundo afora.

Fonte: Boletim Permanencia

O quadro não é animador. A primeira reação de um católico é observar, com tristeza e ironia, que se reza mais aos demônios do que a Deus. Quantitativamente, ao menos. A favor dos católicos, pode-se argumentar que a oração entre nós é voluntária e privada. Não se trata, portanto, de uma obrigação social que não se pode recusar sob o risco de graves sanções. Compensa-se em qualidade o que se perde em quantidade e histrionismo.

Nesse caso, podemos perguntar: quanto vale uma verdadeira oração ao único Deus verdadeiro, feita em silêncio e recolhimento, às vezes sob o risco da própria vida, como entre chineses, islâmicos ou norte-coreanos?

Sozinhos, na escuridão dos seus quartos, provavelmente sem sequer um terço que os guie ou uma simples velinha acesa – porque é com medo que rezam – são como Jesus no Jardim das Oliveiras. Quanto vale essa oração?

Ou quanto vale a oração dos que enfrentam o escárnio e indiferença de um mundo paganizado ou desafiam a própria Igreja para rezar as orações de sempre: a Missa verdadeiramente católica (que é sacrifício e não banquete), o Rosário com seus três terços (e não quatro), o Pai Nosso que perdoa dívidas (e não ofensas)?

Há uma pequena oração, não mais que umas poucas palavras recitadas em alguns segundos, que Jesus em pessoa transmitiu a Santa Gertrudes e que, se rezada com fé, valeria a cada vez, a liberação antecipada de mil almas do Purgatório.

Eis uma medida bem humana da misericórdia infinita de Deus: umas poucas palavras recitadas com fervor por um relés pecador e mil almas serão resgatadas para a Glória. Eis o quanto vale uma verdadeira oração.

Eterno Pai,
ofereço-Vos o Preciosíssimo Sangue de Vosso Divino Filho Jesus,
em comunhão com todas as Missas rezadas hoje em todo o mundo;
por todas as santas almas do purgatório,
pelos pecadores de todos os lugares,
pelos pecadores de toda a Igreja,
pelos de minha casa e de meus vizinhos.
Amém.

PRECISAMOS DE SUA AJUDA! CONTRIBUA CONOSCO

CAPELA“A caridade é paciente, a caridade é benigna; não é invejosa, não é altiva nem orgulhosa; não é inconveniente, não procura o próprio interesse; não se irrita, não guarda ressentimento; não se alegra com a injustiça, mas alegra-se com a verdade; tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. (1 Cor 13, 4)

***************************************************************

Sabemos que o mundo que vivemos é movido por ideias, por sonhos, por propósitos que são transformados em realidade por aqueles que, como o(a) senhor(a), lutam, batalham, enfrentam a vida de frente. Por vezes, em busca dessas ideias, podemos nos deparar com circunstâncias desfavoráveis, com reveses, com situações que podem nos desanimar, nos irritar em demasia, que podem fazer com que, ainda que por um pequeno lapso de tempo, pensemos em abandonar tudo.

Nessas horas desfavoráveis, onde tudo parece nos escapar, sempre recorremos ao nosso Pai celestial, clamando por suas bênçãos, por sua proteção e pela força necessária para continuarmos.

Tratando ainda das ideias, há ideias boas e ideias ruins, há ideias que serão benéficas para todos, enquanto que há ideias que trarão prejuízos para muitos. O empreendedor, por exemplo, ao se propor um negócio, visa, além de garantir seu sustento, proporcionar à sociedade algo que gerará renda, riquezas, empregos, bens para todos.

O jovem que quer ser professor, ao se propor tal nobre função, visa, além de realizar seu sonho, seu propósito, transmitir a milhares de jovens conhecimentos que lhes serão valiosos na busca de suas próprias ideias.

Além do professor, do empreendedor, do político, do motorista, do médico, do advogado, da dona de casa, há aqueles que têm um propósito de primeira grandeza, visto que, se desapegando de tudo o que existe sobre a terra, de seus próprios sonhos, eles lutam para elevar o homem a uma dignidade e a um estado sobrenaturais, para transmitir o amor e a justiça de Deus a todos.
Continuar lendo

A FSSPX CHEGA A 658 SACERDOTES

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Após as ordenações que ocorreram nos Seminários da Fraternidade São Pio X no hemisfério norte nesse mês de junho de 2019, 13 novos padres vieram reforçar as fileiras da obra sacerdotal fundada por Mons. Marcel Lefebvre (1905 -1991) há quase cinquenta anos atrás. 
 
Cinco candidatos norte-americanos foram ordenados sacerdotes para a eternidade, em 21de Junho, por Mons. Bernard Tissier de Mallerais em Dillwyn (EUA) e seis candidatos (quatro franceses, um inglês e um italiano) foram ordenados em 28 de junho Por Mons. Alfonso de Galarreta, em Ecône (Suíça). Finalmente, dois novos sacerdotes (1 alemão e 1 polonês) foram ordenados, em Zaitzkofen (Alemanha) em 29 de junho por Mons. Bernard Fellay.
 
A Fraternidade São Pio X tem agora 658 padres, 3 bispos, bem como 128 irmãos professos e 74 irmãs Oblatas.

**************************

“Senhor, dai-nos sacerdotes,

Senhor, dai-nos santos sacerdotes,

Senhor, dai-nos muitos santos sacerdotes,

Senhor, dai-nos muitas santas vocações religiosas,

Senhor, dai-nos famílias católicas, 

São Pio X, rogai por nós”

O CATOLICISMO FRANCÊS TENDE A DIMINUIR CADA VEZ MAIS

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est 

“Cada vez mais os franceses não acreditam em Deus”, segundo o semanário Le Point , que publicou em 23 de maio de 2019 uma enquete sobre a relação dos franceses com a fé. Ele destaca, entre outras coisas, que em 2018 haviam mais muçulmanos que católicos entre os jovens de 18 a 29 anos. 

Se a religião católica continua tendo uma relativa maioria na França em 2018, sua situação deteriorou-se lentamente: apenas 32% dos franceses se dizem católicos, enquanto eram 70% em 1981. Quanto à prática, 7% das pessoas entrevistadas dizem que vão à Missa “pelo menos uma vez por mês”. Os pesquisadores desistiram de abordar o tema da prática dominical (semanal). 

Os católicos praticantes representam menos de 3% dos 18-29 anos, mas aqueles que são, diz o semanário, “defendem um maior nível de religiosidade que os mais velhos, isto é, que o sentimento religioso é mais forte que antes, naqueles que têm fé”. 

Se o protestantismo e o judaísmo estão conhecendo uma regressão semelhante à da Igreja, o islamismo e os grupos evangélicos (pentecostais) estão inversamente em um movimento de crescimento: a natureza sempre tem horror do vazio, e o “deserto” litúrgico e doutrinal do catolicismo pós-conciliar nada faz para impedir este movimento, longe disso. 

Agora “a maior minoria religiosa”, o islamismo, em plena expansão, é professado por 6% dos franceses em 2018. Os muçulmanos, em comparação com outros grupos religiosos, atribuem maior importância à religião em suas vidas.

Além disso, para o ano de 2018, haviam tantos muçulmanos quanto católicos entre 18-29 anos: o Islã está no caminho de se tornar a religião majoritária dos jovens presentes em solo francês. 

Perante conquista do Islã, a outra grande lição dessa enquete é o importante progresso dos não-religiosos, em outras palavras, dos ditos ateus. Este grupo representa 58% da população francesa, contra 27% de quarenta anos atrás. A França, a filha primogênita da Igreja, é agora povoada por apóstatas, ateus e infiéis. 

Nihil novi sub sole. como explica D. Bernard Fellay, Conselheiro Geral da Fraternidade São Pio X, em seu livro-entrevista Por amor da Igreja publicado pela Via Romana: “em um mundo sem referências, os homens inventam coisas novas para se adequar aos seus sentimentos (…). O equilíbrio será restabelecido assim que a fé recuperar seu lugar primordial(…). Em uma sociedade pós-moderna que perdeu quase todos os seus rumos, o padre é mais necessário do que nunca(…). Com efeito, é ao redor do altar que a cristandade poderá ser reconstruída.”

 

LANÇAMENTO DO LIVRO – A MISSA NOVA DE PAULO VI

pAULO viDom Lefebvre sustenta que a anarquia litúrgica e a confusão doutrinal que se seguiram ao concílio não são causadas simplesmente por desvios em relação à reforma oficial, mas são um resultado direto dessa própria reforma. Ele está de pleno acordo com a opinião expressa pelos cardeais Otavianni e Bacci na carta que enviaram ao Papa Paulo VI com o Breve Exame Crítico da Missa Nova, em 1969: “o Novus Ordo Missae, considerados os novos elementos, suscetíveis a tão diversas interpretações que parecem subjacentes ou implícitas, representa, tanto em seu todo como nos detalhes, um impressionante afastamento da teologia católica da santa missa, conforme formulada na Sessão XXII do Concílio de Trento. (…)

O ensinamento eucarístico do Concílio de Trento é realmente comprometido pelo próprio Novus Ordo Missae, e não simplesmente pelos abusos que tem acompanhado sua celebração na maioria dos países. (…)

Apesar de o Arcebispo Annibale Bugnini ter afirmado recentemente que sou um caluniador e que trabalho com colegas caluniadores por profissão, até onde sei, tudo que está contido neste livro é verdadeiro: não pode haver conflito com a verdade e o respeito da obediência verdadeiros. Um subordinado verdadeiramente leal dirá a seu superior não que acha mais provável de o agradar, mas o que acredita ser verdade, e mais provável de beneficiar a organização a que pertencem. (…) O Rei Lear tinha uma única filha leal que permaneceu fiel, apesar de ter sido por ele repudiada.

Michael Davies.

Para comprar o livro CLIQUE AQUI

*****************************************

Promoção Trilogia Michael Davies

Para comprar a trilogia, que discorre sobre a destruição do catolicismo por meio da mudança litúrgica (uma reunião dos três livros de Michael Davies: – A Reforma Litúrgica de Cranmer – O Concílio de João XXIII – A Missa Nova de Paulo VI) CLIQUE AQUI

FOTOS DA TRADICIONAL PEREGRINAÇÃO DE PENTECOSTES (FSSPX) – DE CHARTRES À PARIS (2019)

A Peregrinação iniciou em Chartres no sábado, dia 08, com 4500 fiéis para a caminhada e finalizou em Paris, no dia 10, com 7000 presentes na Missa de encerramento.

Fonte: La Porte Latine, DICI e  Pèrelinages de Tradition – Tradução: Dominus Est

A MISSA DE PARTIDA EM CHARTRES 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os peregrinos vieram de toda a França e também de vários países. Foram cerca de 4.500 inscritos.

Depois da missa, os fiéis partiram pela Beauce para 3 dias de caminhada de Chartres até Paris.

O Pe. Guillaume Gaud, Prior de Brest – que celebrou a Missa da manhã nos jardins atrás da catedral – lembrou, em seu sermão, que a reconstrução da cristandade deve andar de mãos dadas com a preocupação com bem comum e o espírito de solidariedade, através do Corpo Místico do qual somos membros pelo nosso batismo. O pregador incitou a combatermos o egoísmo, o individualismo – contrário ao espírito de serviço – e a sermos generosamente apóstolos, estando intimamente unidos a Deus. Nomeado Superior do Seminário Santo Cura d’Ars, em Favigny, no último verão, o Padre Gaud terminou com um vibrante apelo pelas vocações.

A SAÍDA E A CAMINHADA DO SÁBADO DE MANHÃ

Depois da missa, milhares de peregrinos partiram pelas estradas da Bauce para um trajeto de 40 quilômetros, sob um sol radiante. Centenas de pequenos caminhantes deram o exemplo peregrinando nos caminhos de Chartres à Paris.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não há dúvida de que Nossa Senhora de Fátima se comoverá pelas súplicas destes jovens peregrinos que rezam pelas intenções da Santa Igreja e pela conversão da nossa querida pátria.

A CAMINHADA DO SÁBADO DE TARDE

Este slideshow necessita de JavaScript.

CAMINHADA E MISSA PONTIFICAL DO DOMINGO

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No final do segundo dia de caminhada e oração, os peregrinos se reuniram em Villepreux, perto de Versalhes. Desde o dia anterior, o número de inscritos aumentou: 4800.

A Missa do Domingo de Pentecostes foi celebrada perante milhares desses peregrinos que já viajaram mais de 80 km em dois dias.

Durante a Missa pontifícal, celebrada às 18 horas, D. Bernard Tissier de Mallerais entusiasmou os fiéis, lembrando-os dos planos de Dom Marcel Lefebvre para o Reinado Social de Nosso Senhor Jesus Cristo. 

O padre assistente dessa magnífica cerimônia pontifical foi o Pe. Benoit de Jorna, Superior do Distrito da França da Fraternidade Sacerdotal São Pio X.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os outros ministros que oficiaram foram:

– Diácono-assistente: Pe. Benoît-Joseph de Villemagne, Superior da Escola Saint-Michel (36) 

– Diácono-assistente: Pe. Gonzague Peignot, Superior da Escola Saint-Joseph-des-Carmes (11) 

– Diácono: Pe. Jean-Yves Tranchet, Superior da Escola Saint Bernard (78) 

– Subdiácono: Pe. Arnaud d’Humières, Superior da Saint- Jean School Michael Garicoits (64)

O serviço de missa foi prestado pelos estudantes da escola de Saint-Jean-Baptiste-de-la-Salle, que vieram em grande número com o Superior do estabelecimento, Pe. Michel Poinsin de Sivry.

BIVOUAC E LOGÍSTICA

Este slideshow necessita de JavaScript.

CAMINHADA DA SEGUNDA-FEIRA E ENTRADA EM PARIS

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

MISSA DA SEGUNDA FEIRA, NA PLACE VAUBAN

Atrás do Palácio dos Invalidos, a Place Vauban forma uma série de elegantes avenidas simétricas, e foi lá que a Missa de encerramento foi celebrada, para cerca de 7000 fiéis (segundo a prefeitura de Paris), pelo  Padre Benoît de Jorna, Superior do Distrito da França. Ele foi assistido pelos padres Xavier Lefebvre , Diretor da Escola Primária do Menino Jesus, em Bailly (78) e Jehan Pluvié, diretor da escola primária Petit Musc, em Paris(75).

Este slideshow necessita de JavaScript.

ENTREVISTA DE D. FELLAY: “MAIS DO QUE TUDO, O MUNDO ATUAL PRECISA DE PADRES”

Fonte: DICI – Tradução: Dominus Est

Sua Eminência, o senhor acaba de publicar um livro belamente intitulado “Por Amor à Igreja”. O senhor pode nos dizer algo sobre suas origens? 

Dom Fellay: Este livro tem uma longa história. Minha agenda não me dava toda a liberdade necessária para escrever tal trabalho. Ele foi pensado pela primeira vez há cerca de quatro anos, e a escrita foi concluída há mais de um ano. Como resultado, os temas relacionados às notícias estão parcialmente desatualizados.

“Por amor à Igreja” nos convida a questionar o lugar da Fraternidade Sacerdotal São Pio X na Igreja. Não deveria este lugar estar em Roma, porque Roma é a cabeça e também o coração da Igreja?

O coração da Igreja é o Espírito Santo, é o amor de Jesus, e é também o sacerdócio, tão intimamente ligado a Nosso Senhor e ao Seu Sagrado Coração. O chefe da igreja é Cristo.

Aqui abaixo, o líder visível da Igreja é o Papa, a quem estamos naturalmente sujeitos, a quem respeitamos e temos sempre respeitado, assim como todas as autoridades legítimas da hierarquia eclesiástica.

O lugar da Fraternidade é no centro, no coração da Igreja. Pois o sacerdócio e a Santa Missa, intimamente ligados uns aos outros, são o coração da Igreja; a bomba que transmite a vida da graça por todo o corpo.

Como católicos romanos, nosso lugar também está em Roma. Mas você sabe que estamos passando por uma crise terrível, uma verdadeiramente desorientação diabólica, que substituiu a Roma eterna, mestra da sabedoria e da verdade, por uma nova Roma, nascida do Concílio Vaticano II, uma Roma neo-modernista com tendências liberais, que devemos resistir para manter a fé. Continuar lendo

A DISNEY A FAVOR DO ABORTO

Fonte: Boletim Permanencia

A Disney se tornou um império bilionário humanizando animais. Agora, coloca esses animais humanizados a serviço da desumanização dos homens: tornou-se a favor do aborto.

Na pessoa do presidente da companhia, Bob Iger, a Disney ameaçou encerrar suas atividades no estado da Georgia, nos EUA, se a lei estadual antiaborto recentemente aprovada entrar mesmo em vigor em abril do ano que vem. Antes dela, a Netflix já anunciara decisão semelhante.

A Georgia é considerada a Hollywood do Sul, porque oferece incentivos fiscais para a industria cinematográfica filmar em seu território.

No dia 7 de maio, o governador do estado, o republicando Brian Kemp, assinou a lei proibindo qualquer tipo de aborto quando o coração do bebê já puder ser detectado da barriga da mãe.

Vários atores e atrizes já haviam se declarado contra a lei e a favor do aborto, mas Netflix e Disney foram as primeiras empresas a se manifestar publicamente. Por ora, tudo segue no terreno da ameaça e é de supor que os respectivos departamentos financeiros estejam estudando o que será melhor para os negócios: abrir mão dos incentivos ou aderir ao boicote.

O fato é que Disney e Netflix decidiram apoiar os abortistas. Na Georgia? Não, obviamente, não. Nos EUA e no mundo.

O que podem os católicos esperar das próximas levas de filmes produzidos pela gigante do streaming e dos filmes para crianças (para as crianças que sobreviverem, bem entendido) da Disney?

OBS: Remetemos o leitor a outro post deste ano em que tratamos da pauta politicamente correta desta companhia.

O TEATRO DE DOM RIFAN EM BRASÍLIA

Resultado de imagem para consagração brasil rifanDom Lourenço Fleichman

Alguém poderia me explicar que tipo de teatro foi esse armado em Brasília?

Antes de assistir aos vídeos da cerimônia – que não foi uma consagração feita pelo presidente, mas um papel assinado por algumas personalidades presentes e entregue não ao Presidente Bolsonaro, mas a um desses secretários de governo – eu cheguei a me perguntar se o meu texto criticando essa consagração não teria esquecido o lado de piedade que talvez pudesse ser real.

Mas quando percebi que o Presidente Bolsonaro esteve presente só fisicamente, que seu espírito vagava por outros desertos (estaria ele preocupado com a reação dos “irmãos”?), que estava como que constrangido, que não teve absolutamente nenhuma participação, nem mesmo um sorriso, um ato de piedade, nada!

Sobretudo quando vi a filmagem de um grupo de pessoas em torno de Dom Fernando Rifan, no meio de uma confusão de pessoas, de falatórios, como se estivesse conversando num bar, dirigir-se à imagem da Virgem Maria, fingindo ler para ela o texto da tal “consagração”, sem um mínimo gesto de piedade, sem silêncio, sem se ajoelhar, ou seja, um ato típico de Dom Rifan, muito popular, muito sorridente, muito falatório… e só! Então eu tive a certeza de que meu texto foi fraco para exprimir a realidade desse circo montado no Palácio do Planalto.

Salvo engano, quem consagrou o Brasil a Nossa Senhora foi Dom Rifan, e não o Presidente Bolsonaro. Que piada!

Tudo ali era falso: presença falsa do Presidente Bolsonaro, citado no texto lido, mas ausente na leitura feita pelo bispo; consagração falsa que não consagrou coisa nenhuma, por falta de autoridade para tal ato, falta de formalidades católicas, da solenidade requerida para uma verdadeira consagração; falsa piedade desse grupo de pobre gente enganada, que levados pela autoridade de um bispo achava que estavam, de fato, se dirigindo à Nossa Senhora e, pior, achavam que estavam com isso salvando o Brasil!

Estamos diante de uma realidade perigosa que falsifica tudo. Esses conservadores com seus grupos pseudo-católicos, com seus estudos pseudo-tomistas, com seus gurus pseudo-intelectuais… Que figuras patéticas, que gente curiosa, que falso catolicismo! Continuar lendo

ENTRE MANIFESTAÇÕES E CONSAGRAÇÕES

Fonte: Boletim Permanencia

A semana foi agitada pelo chamado às ruas dos apoiadores de Jair Bolsonaro e pelo anúncio de que o bispo Dom Fernando Rifan levou ao Presidente um texto de Consagração do Brasil ao Imaculado Coração de Maria, o que será feito hoje. Como não é de espantar, muitos católicos se perguntam como deveriam se posicionar em relação a esses dois eventos.

Em relação às ruas, às manifestações, já deixei claro como nos posicionamos, mas é sempre bom lembrar. Os católicos não devem se juntar em manifestações com outros grupos, com outras religiões, com instituições contrárias à fé católica, ou que reduzem as questões aos chamados denominadores comuns, de modo a deixar de lado os princípios católicos que deveriam sempre nortear o pensamento nesses pontos. Isso é um ensinamento constante dos papas anteriores ao Concílio Vaticano II, e aparece de modo muito forte na encíclica Mortalium Animos, de Pio XI, de 1938.

Por outro lado, isso não significa que um pai, vendo que uma manifestação movida por intenções retas acontece perto de sua casa, não possa descer à rua com sua família, de modo privado e discreto. Saibamos agir prudencialmente, e respeitar essa proibição da Igreja com inteligência e bom senso. A vida privada é algo prático, que depende do juízo prudencial de cada um.

Mas que fique claro que isso só pode ser feito de modo privado, o que exclui agrupamentos católicos, combinações de grupos de whatsapp e coisas do gênero.

Em relação à consagração do país a Nossa Senhora, vamos tentar analisar essa questão pensando nas pessoas envolvidas no caso.

Em primeiro lugar, o aparecimento de Dom Fernando Rifan no contexto da política nacional. A figura não nos traz confiança, tendo sido um traidor de sua formação junto a Dom Antônio de Castro Mayer, a quem renegou por um anel de ametista e uma mitra. Os interesses desse bispo passam sempre na frente de suas convicções, e estas vão mudando de acordo com as exigências dos inimigos da Igreja, a quem hoje ele serve. Isso a ponto de exigir de seus padres e seminaristas que aprendam e celebrem a missa nova, tão claramente condenada pelo grande confessor da fé que foi Dom Antônio.

O segundo personagem a entrar em cena é o presidente da República, que não esconde seu envolvimento com a seita protestante. Agora mesmo ele acaba de criar novos vínculos com os hereges. A própria manifestação do dia 26 está virando um evento “evangélico”. Podemos muito bem assistir ao presidente fazendo a consagração, e no dia seguinte, estar num culto protestante, para agradar a sua esposa, ou para conseguir algum proveito político. Eu gostaria muito que o católico Jair Bolsonaro compreendesse o seu papel de chefe de uma nação católica, mas não é o que percebemos em suas ações.

A terceira personagem a entrar em cena é a Virgem Maria. E devemos nos perguntar se Nossa Senhora gostaria de estar metida num movimento ecumênico, ou na duplicidade de seu papel de intercessora junto a seu Filho, para salvar o Brasil do caos. Sim, claro, vamos pedir a ela hoje, e amanhã vamos ser cúmplices dos que renegam a santidade da Mãe de Deus ou a desprezam publicamente.

Em quarto lugar, há a Pátria brasileira, que sofre pela incapacidade do governo Bolsonaro de canalizar as forças ainda sadias do país, permitindo que as brigas intestinas entre aqueles que deveriam se apoiar mutuamente, levem o país ao desastre. É claro que, para o Brasil, uma consagração a Nossa Senhora, ao seu Imaculado Coração, seria de grande importância. Porém, o que aparece nessa análise é que estamos diante de uma consagração mais política do que religiosa. Nesse caso, preferimos que não aconteça, e que esses senhores deixem em paz a Virgem Maria.

Nossas orações, nossas missas, nossos sacrifícios, valem muito mais do que essa farsa que estão montando no Brasil.

CARDEAL HUMMES: UMA NOVA MISSÃO PARA A IGREJA

O próximo sínodo para a Amazônia está sendo preparado. Nele não faltam ambições 

Fonte: La Porte Latine – Tradução: Dominus Est

“O sínodo vem num momento grave da história da humanidade.” Eis a importância do próximo sínodo para a Amazônia, segundo seu relator geral, o Cardeal Hummes (em entrevista ao Vatican News, 11 de maio de 2019).

Por que grave? A salvação das almas está sendo ameaçada pelas sociedades cada vez mais libertárias, pela perseguição aos cristãos no mundo, pelo indiferentismo generalizado?

O cardeal fala de salvação, sim. Ele reafirma até a missão da Igreja: “salvar a Amazônia, o povo da Amazônia e também salvar o planeta”. Apenas isso! Que santa ambição!

Mas e sobre a salvação das almas em questão? Tenham certeza que não! Muito retrógrado! Como se, após o Vaticano II, pudesse haver questões sobre almas salvas ou condenadas na hora da salvação universal.

Este é um momento grave … “de crise climática e ecológica do planeta“. Isso, de acordo com o cardeal, é a grande “angústia da Igreja, dos agentes pastorais, dos bispos, dos padres”. E porque esse sínodo está sendo tão bem preparado (percebam: sua excelência mesmo “visitou toda a floresta amazônica”), ele [sínodo] “[o] deixa feliz e [lhe dá muita esperança]”.

Oxalá que ele não descubra que, com seu velho calhambeque movido à diesel, estes incorrigíveis padres da Tradição continuarão estupidamente a tentar “ensinar todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito -Espirito “.

Pe. B. Espinasse

 

VENHA, AJUDE-NOS!

CAPELAPrezados amigos, prezados leitores e benfeitores, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vocês que acessam e gostam de nosso blogvocês que acompanham as ações da FSSPX pelo mundovocês que lutam pelo Reinado Social de Nosso Senhor, vocês que sabem que a Tradição é a única solução para a restauração a Igreja… AJUDE-NOS! 

Estamos, mais uma vez, pedindo vossa ajuda nessa campanha em prol da compra de um terreno e futura construção de mais uma Capela para a Tradição e para a Santa Igreja. Sabemos que o caminho é longo e árduo, por isso, toda ajuda é importante.

CLIQUE AQUI PARA ALGUMAS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O PROJETO

OU

CLIQUE AQUI E LEIA O TEXTO COMPLETO DA CAMPANHA!

Faça um gesto nobre de caridade, por amor à Santa Igreja!!

Ad Majorem Dei Gloriam

Aproveitamos para agradecer a todos que nos ajudam ou ajudaram em algum momento nessa campanha, mesmo de forma anônima. Contem com nossas orações.

Que Nossa Senhora os conduza ao caminho da santidade.

A TRADIÇÃO VAI À APARECIDA – 18/05/19 – VAGAS PARA O SEGUNDO VEÍCULO DE RIBEIRÃO

apaPrezados amigos, leitores e benfeitores, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Está marcada a tradicional Peregrinação da FSSPX à Aparecida para 2019: 18/05 (os horários ainda serão definidos).

O encontro será em Pindamonhangaba e de lá partiremos a pé para visitar nossa Mãe Santíssima.

Serão cerca de 22 quilômetros de percurso de uma cidade à outra, completados em 6 horas de caminhada, mais ou menos.

No trajeto iremos cantando músicas tradicionais, rezando rosários e os padres ficarão à disposição para ouvir confissões.

Teremos a Missa de encerramento e faremos a visita à nossa Mãe Santíssima na Basílica. 

As fotos da Peregrinação do ano passado podem ser vistas aqui: IMAGENS DA PEREGRINAÇÃO DA FSSPX À APARECIDA 2018

Estamos com apenas 3 vagas restantes em um segundo veículo. Aos que quiserem participar conosco e/ou ter mais informações, partindo de Ribeirão Preto, favor entrar em contato pelo gespiox@yahoo.com.br

*********************

OBS 1: Às pessoas idosas, com problemas físicos, crianças, etc… algumas Vans seguem a Peregrinação, para que possam fazer algum tipo de descanso, se necessário.

OBS 2: Para informações de como serão as saídas dos outros Centros de Missa, Comunidades amigas e Priorados, favor entrarem em contato diretamente com os mesmos (ver aqui).

A TENTAÇÃO DOS SANTOS

Fonte: Boletim Permanencia

O texto a seguir foi extraído do artigo Padre Pio, Vaticano e Novus Ordo Missae, publicado no último número da Revista Permanência. É consolador (ainda que não seja novidade) ouvir dos santos que também eles padecem de tentações. De tentações proporcionais à sua santidade, seja em duração, seja em intensidade. Nossa comunhão com eles também se manifesta aqui – e sobretudo aqui – nesse terreno tão terrível e movediço.

Parece que Deus espera que os justos expiem de modo especial, por meio da tentação, os pecados públicos dos seus contemporâneos. Num tempo em que a psicanálise, com sua aptidão para oferecer desculpas para o pecado, ganhava terreno, Padre Pio – como Teresinha – teve de passar por uma crise quase intolerável de escrúpulos, que o atormentou por três longos anos. Então, depois da tempestade veio a noite, a noite da alma que perdurou dezenas de anos, com lampejos ocasionais de luz:

Vivo numa noite perpétua… Vejo dificuldades em tudo e não sei se ajo bem ou mal. Vejo que não se trata de escrúpulos: a dúvida que sinto quanto a estar ou não agradando ao Senhor me esmaga. Essa ansiedade me persegue em todos os lugares: no altar, no confessionário, em todo canto!

É com o pensamento nas suas experiências místicas que devemos interpretar suas máximas: “O amor é mais belo na companhia do medo, porque assim se torna mais forte. Quanto mais se ama a Deus, menos medo se sente!”

Santa Teresinha do Menino Jesus opôs o caminho da infância espiritual ao racionalismo orgulhoso de seu tempo, mas também sofreu tentações terríveis contra a fé. Seu brado, “Eu acreditarei!”, é bem conhecido. Padre Pio também padeceu violentas e prolongadas tentações contra a fé, como testemunham suas cartas ao Fr. Agostino:

“Blasfêmias cruzam a minha mente incessantemente, e mais ainda idéias falsas, idéias de infidelidade e descrença. Sinto minha alma transfixada a cada segundo da minha vida, isto me mata… Minha fé só se mantém pelo esforço constante da minha vontade contra todo tipo de sedução humana. Minha fé é fruto dos esforços contínuos que me imponho. E tudo isto, Padre, não é coisa que aconteça uma ou duas vezes ao dia, mas é contínuo… Padre, como é difícil crer!”

Que lição preciosa para nós, caso nos vejamos, por exemplo, surpreendidos em tentações de tão alto grau.

A ATUAL PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA NO MUNDO ISLÂMICO

Nota da Permanência:

Siri Lanka, 21 de abril de 2019. Um grupo de muçulmanos se lançou contra três igrejas deixando um saldo de mais de 200 mortos.

Não se tratou de um caso isolado, no entanto, e sim de apenas um capítulo a mais na longuíssima lista dos crimes do islamismo.

Todos se lembram do massacre do Bataclan ou do assassinato do Padre Hamel, na França; ou ainda, dos atentados do Domingo de Ramos de 2017, no Egito, que deixaram 47 mortos, ou dos ataques em Barcelona no mesmo ano, deixando muitos mortos e mais de cem feridos. Os atentados de 11 de setembro permanecem nas memórias de todos.

No entanto, é pouco conhecida a real extensão da perseguição religiosa atual no mundo islâmico. Afeganistão, Iraque, Egito, Nigéria e Paquistão são alguns dos países em que ela se mostra sistemática, geral e sangrenta. É criminosa a omissão da imprensa em noticiar esses fatos.

O mérito do texto que apresentamos em seguida, tirado do artigo Muslim Persecution of Christians, é precisamente o de revelar a extensão dos horrores que ocorrem nas terras de Alah.

Advertimos o leitor, contudo, contra o uso do termo “cristãos” – adotado pelo autor para designar comumente católicos, protestantes e ortodoxos. Se aos olhos dos algozes islâmicos não há diferença entre eles, tal como a água e o azeite, não se misturam a Verdade e o erro.  

Atual perseguição religiosa no mundo islâmico  

Robert Spencer

A imagem popular das Cruzadas apresenta os guerreiros ocidentais aterrorizando os infiéis, convertendo-os à força, expulsando-os de suas terras e impondo-lhes governos cristãos. Muitos acreditam que elas ainda existem e não são meras ruínas da História. Para evitar as acusações de estar seguindo seus “passos negros”, o presidente George W. Bush retirou tal palavra do seu vocabulário, logo que os europeus o repreenderam por referir-se a uma “cruzada americana contra o terrorismo”. De fato, as Cruzadas foram uma tentativa de resgatar as terras cristãs que o Islã conquistou, mas hoje o que se vê é a ocultação do poderio islâmico ressurgente – uma realidade temível – pela doutrina do “politicamente correto”. Não existem cruzadas cristãs em curso, mas apenas uma irresoluta e inconsistente campanha contra o terrorismo; a única ofensiva religiosa atual é a perseguição implacável e brutal de cristãos em territórios islâmicos, como não se via desde os tempos do Império Otomano. 

A partir da fatwa infame de Osama Bin Laden contra “judeus e cruzados” decretada em 1998, os jihadistas declararam guerra ao Ocidente, justificando seus ataques como campanhas de defesa a uma suposta guerra santa cristã. Em janeiro de 2011, o jornalista de esquerda Seymour Hersh repetiu essa teoria no Qatar, e afirmou que o general aposentado Stanley McChrystal, junto com militares que estavam de serviço nas unidades de operações especiais, integrava uma conspiração cujo objetivo era promover uma cruzada contra os muçulmanos: “Eles sabem muito bem o que estão fazendo, essa não é uma atitude incomum entre os militares; sem dúvida, trata-se de uma cruzada. Eles se consideram os defensores dos cristãos e, como no século XIII, protegem-nos dos muçulmanos. É a tarefa deles” 1 Continuar lendo

SOA O DOBRE POR NOTRE DAME

Resultado de imagem para incêndio notre dameDom Lourenço Fleichman, OSB

Acompanhei um pouco a situação em Paris pelos jornais franceses, e me parece importante escrever para os meus fiéis e leitores do site, para lhes falar um pouco sobre esse acontecimento estranho do incêndio de Notre Dame de Paris.

Muitas catedrais, igrejas, mosteiros queimaram em incêndios antes desse. Muitos terremotos derrubaram suas flechas monumentais, como vimos hoje cair a de Paris. 

Mas não posso deixar de considerar que essa destruição tem um caráter diferente. Antes do fogo destruir esta Citadela da Fé católica, há muito tempo já desaparecera o fogo que a levantara há cerca de 1.000 anos atrás.

Quando leio nos jornais os políticos falando de cultura, de Europa, de arte, não posso deixar de pensar na culpa que esses senhores têm por tudo o que foi jogado fora de civilização católica, dos mil anos da Cristandade, da Idade Média. Não posso impedir que brote no coração o ódio por essa Revolução que há 250 anos destrói o que nossos heróis construíram, para pasmo do mundo moderno, pelo simples amor a Nosso Senhor Jesus Cristo, a sua Mãe Maria, e a sua Esposa, a Santa Igreja  Católica Apostólica Romana.

Não posso deixar de odiar com todas as forças da alma esse Modernismo de Vaticano II, que ainda hoje derruba as simbólicas cruzes da fé nos corações.

Na verdade o mundo moderno e a Igreja modernista não merecem esses monumentos da fé antiga, pois que a repudiaram com desprezo e violência.

Era normal que, na Apostasia Geral em que vivemos, os marcos da fé de outrora fossem desaparecendo, como destruídos foram os Sacramentos, as Orações, o Sacerdócio, as igrejas e tudo o mais que ocupava pela vida interior esses mesmos monumentos.

Mas a vida continua.

Já estão arrecadando o dinheiro da reconstrução. Muito dinheiro. Já anunciaram que reunirão os melhores artífices do mundo para refazer o que foi destruído pelas chamas. De que serve? Levantarão uma Catedral do Pluralismo revolucionário. Cantarão loas à Fraternidade universal. Incensarão a deusa Liberdade no altar da nova Notre Dame. E todos, unidos pela Igualdade sem Jesus crucificado, soltarão fogos no dia da inauguração. 

No limiar da nossa Semana Santa, quando nos preparamos para o luto litúrgico pela Paixão e Morte de Cristo, soa o dobre por Notre Dame.

E mais uma vez choramos a destruição da fé.

Domingo que vem nos alegraremos com Cristo Ressuscitado, e poderemos tratar da nossa salvação eterna, nos nossos esconderijos, nas nossas catacumbas da Tradição.

É A SUA VEZ DE NOS AJUDAR

CAPELAPrezados amigos, prezados leitores e benfeitores, louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vocês que acessam e gostam de nosso blogvocês que acompanham as ações da FSSPX pelo mundovocês que lutam pelo Reinado Social de Nosso Senhor, vocês que sabem que a Tradição é a única solução para a restauração a Igreja… AJUDE-NOS! 

Estamos, mais uma vez, pedindo vossa ajuda nessa campanha em prol da compra de um terreno e futura construção de mais uma Capela para a Tradição e para a Santa Igreja. Sabemos que o caminho é longo e árduo, por isso, toda ajuda é importante.

CLIQUE AQUI PARA ALGUMAS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O PROJETO

OU

CLIQUE AQUI E LEIA O TEXTO COMPLETO DA CAMPANHA!

Faça um gesto nobre de caridade, por amor à Santa Igreja!!

Ad Majorem Dei Gloriam

Aproveitamos para agradecer a todos que nos ajudam ou ajudaram em algum momento nessa campanha, mesmo de forma anônima. Contem com nossas orações.

Que Nossa Senhora os conduza ao caminho da santidade.

ORAÇÕES POR D. TISSIER

Fonte: SSPX USA – Tradução: Dominus Est

A ordenação das “ordens menores”, marcada para hoje, 5 de abril, infelizmente teve que ser adiada. As cerimônias serão remarcadas o mais rápido possível e atualizaremos a todos.

Infelizmente, Sua Excelência D. Tissier, foi impossibilitado de ordenar seminaristas para as ordens menores devido a problemas de saúde. Ao mesmo tempo em que permanece hospitalizado devido a uma infecção, ele está de bom humor e agradece qualquer oração por uma rápida e completa recuperação. Uma cirurgia de rotina será realizada na segunda-feira, 8 de abril, para garantir sua saúde plena.

A ocasião para a cirurgia é uma infecção causada por uma picada de inseto que ele recebeu enquanto viajava pela Europa. Por alguma razão, os antibióticos orais que lhe foram prescritos na Europa não fizeram efeito e a infecção evoluiu para uma celulite infecciosa. Quando, ao retornar aos Estados Unidos, no último sábado, 30 de março, ficou claro que os antibióticos orais não estavam se mostrando eficazes, ele foi internado em um hospital para receber antibióticos intravenosos. No entanto, a partir de imagens médicas recentes, parece que alguns dos tecidos infectados “se isolaram” (não é uma ocorrência totalmente incomum em infecções) e não conseguem ser alcançados por esses antibióticos intravenosos. Assim, seus médicos acharam que o caminho mais seguro era fazer a cirurgia simples para retirar o tecido infectado.

Assim que tivermos uma atualização, informaremos o resultado. Por favor, rezem por Sua Excelência, pelos seminaristas e suas famílias!