DO MODO DE POR FREIO À LÍNGUA

Resultado de imagem para pecado da linguaA língua do homem precisa muito de regra e de freio, porque não há quem não esteja grandemente inclinado a falar e discorrer sobre as causas que mais agradam aos sentidos.

E’ devido a uma certa soberba, que, na maioria dos casos, somos levados a falar muito . Persuadimos-nos, devido a este orgulho, de que sabemos muito,comprazemos-nos nas nossas opiniões e procuramos que os outros aceitem as nossas, para que tenhamos autoridade sobre eles, como se todos precisassem aprender de nós.

Não podemos, com poucas palavras, falar do mal que provem das muitas palavras.

A loquacidade é a mãe do desafeto, é a arma da ignorância e da insensatez, a porta da crítica descaridosa, o veículo das mentiras e o esfriamento da devolução.

As muitas palavras dão força às paixões viciosas, e estas, por sua vez, incitam depois, a língua, a que continue na sua loquacidade indiscreta .

Com os que não te ouvem de boa vontade, não sejas longa, para não os molestares. E faz o mesmo com os que gostam de te ouvir, para não seres imodesta.

Foge de falar com ardor e voz alta, porque ambas as causas são odiosas, pois é indício de presunção e vaidade.

A não ser por necessidade, (e, neste caso, o mais brevemente possível) , não fales de ti, de teus atos e de teus companheiros. Se te parece que outros falam de si mesmos em demasia, esforça-te por ter bom conceito deles, mas não os limites, mesmo que suas palavras fossem uma acusação de si mesmos e tivessem por fim a sua humilhação .

Pensa o menos possível sobre teu próximo e sobre as causas que a ele pertencem. E sempre que o faças, seja para falar bem deles . De boa vontade fala do amor de Deus, mas com o medo de poder errar, ainda neste assunto. Melhor é preferires prestar ouvidos, quando outro fala, guardando tuas palavras no íntimo do teu coração .

Mal cheguem aos teus ouvidos as vozes de outrem, eleva tua mente ao Senhor.

Precisas ouvir para entender e responder, mas não deixes, por isso, de elevar teu pensamente até o céu, onde habita teu Deus, e de pensar na sua grandeza e na imensa vileza tua, aos olhos do Senhor .

Antes de falar sobre as coisas que entram em teu coração, pensa primeiro.

Porque muita coisa desejará, mais tarde,não as ter exposto. Advirto-te ainda, que, muitas coisas que pensarás ser bom que as digas, melhor seria que as deixasses sepultadas no silêncio . Poderás reconhece-lo, pensando sobre isto, depois de passada a ocasião do raciocínio.

O silêncio, minha filha, é uma grande fortaleza na batalha espiritual, e garantia da vitória .

O silêncio é o amigo daquele que desconfia de si mesmo e confia em Deus.

E’ um auxílio maravilhoso no exercício das virtudes, e só com o silêncio podemos fazer oração contínua .

Para te acostumares a te calar, considera muitas vezes os danos e perigos da loquacidade e os grandes benefícios do silêncio . Toma-te de amor por esta virtude e, para adquirir-lhe o hábito cala-te, mesmo quando não ficaria mal falar, desde que isto não te prejudique, nem a ti nem aos outros.

Ser-te-á útil ainda, afastar-te das conversações . Perderás a companhia dos homens, mas terás a dos anjos, dos santos e do próprio Deus .

Finalmente, recorda-te da tarefa que tens em mãos . E ao veres quanto ainda resta fazer, não terás vontade de conversar em demasia .

O Combate Espiritual e o Caminho do Paraíso – D Lourenço Scupoli

Deixe uma resposta