TOMADA DE BATINA E TONSURA NO SEMINÁRIO SÃO TOMÁS DE AQUINO – FSSPX/EUA – 2017

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: La Porte Latine – Tradução: Dominus Est

Esta foi a primeira vez que os fiéis americanos tiveram a alegria de assistir às cerimônias de tomadas de batina e tonsura no novo seminário dos Estados Unidos, por Sua Excelência Mons.  Bernard Tissier de Mallerais, bispo auxiliar da Fraternidade Sacerdotal de São Pio X .

São 17 seminaristas do primeiro ano (14 americanos, 1 dominicano, 1 mexicano e 1 canadense) que receberam a batina e 7 a tonsura das mãos do pontífice.

Mons. Marcel Lefebvre, fundador da FSSPX, sempre defendeu o uso da batina como um sinal de sacrifício: um sermão vivo, pregando Nosso Senhor Jesus Cristo no mundo. Este também foi o sentido da homilia de Mons. Tissier de Mallerais, que pregou sobre o profundo significado desta tomada de batina, que separa estes jovens seminaristas do resto do “mundo”.

A Batina, traje sóbrio e austero simboliza o desprendimento dos seminaristas do mundo em tudo o que pode ser frívolo, leviano e superficial. Ela indica também, um outro aspecto positivo, a estreita relação que agora os une a Nosso Senhor Jesus Cristo.

No mesmo dia, no seminário de São Cura d’Ars, em Flavigny (França), Mons. Bernard Fellay  entregou a batina para 14 seminaristas do primeiro ano: 12 franceses, 1 britânico e 1 suíço.

Finalmente, no seminário  Sagrado Coração de Jesus, em Zaitzkofen (Alemanha), Dom Alfonso de Galarreta entregou o hábito clerical a 7 seminaristas. Isso faz que tenhamos no total: 38 tomadas de batina para a FSSPX, em 02 de fevereiro de 2017.

Deo Gratias!

A JURISDIÇÃO DE SUPLÊNCIA

Resultado de imagem para tissier de malleraisPor Dom Bernard TISSIER DE MALLERAIS

INTRODUÇÃO do Sr. Padre SCOTT

O ESTADO DA QUESTÃO

Muitos têm perguntado como os padres tradicionais podem continuar a ministrar os Sacramentos, e especialmente ouvir confissões, quando eles tiveram as suas Licencias Sacramentais retiradas pelo ordinário local.

As considerações a seguir deverão ajudar-lhes a entender não apenas a injustiça da situação, mas, também, como estes padres estão claramente no direito de usar a jurisdição de suplência. É óbvio que a presente crise na Igreja não está prevista na Lei Canônica.

Consequentemente, nós devemos basear a nossa actividade em uma analogia jurídica, tomada das normas gerais dos Códigos (Canon 20 no Código Antigo e Canon 19 no Novo Código), as quais determinam que se não há lei que diga respeito expressamente a uma situação especial, a regra deve ser tomada a partir de:

1) Leis promulgadas para circunstâncias similares. As circunstâncias similares são aquelas nas quais a Igreja supre a jurisdição por conta de um grave perigo para as almas. Estas são os casos de:

  • Erro comum concernente à jurisdição do padre: Código Antigo [i.e., o Código de Direito Canônico de 1917, doravante “CA”, Canon 209], Novo Código [i.e., o Código de Direito Canônico de 1983, doravante “NC”, 144].
  • Dúvida positiva e provável: CA 209 (NC 144). Isto pode estar relacionado a jurisdição ou erro comum ou perigo de morte.
  • Desconhecimento do fato de que a jurisdição havia expirado: CA 207.
  • Perigo de morte: CA 882 e 2252 (NC 976 e 1357). Aqueles que não podem encontrar um confessor apropriado por um longo período de tempo e, consequentemente, que estão em perigo de morte espiritual devem ser equiparados àqueles em perigo de morte, de acordo com o princípio da Equidade Canónica (v abaixo).

2) Os princípios gerais da lei canónica, os quais inspiram as leis particulares. Os dois princípios são:

  • A salvação das almas é a maior das leis (NC 1752).
  • Os Sacramentos existem para o bem dos homens.

3) O recurso à equidade. Isto é, o recurso ao parecer do legislador (quando não há nada explícito por escrito), que nunca deseja que a sua legislação seja custosa demais (opressiva), mas sempre deseja que ela seja interpretada de uma maneira justa e favorável. Que seja, de fato, a intenção da Igreja ser generosa na concessão de jurisdição, e não rigorosa ou exigente em excesso, é, também, patente nos dois Cânones seguintes: Continuar lendo

CONFIRMAÇÕES EM DICKINSON, TEXAS (EUA)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais de 50 confirmações foram realizadas por Dom Bernard Tissier de Mallerais em uma igreja cheia de história para a Sociedade de São Pio X

Fonte: SSPX USA – Tradução: Dominus Est 

No dia 30 de Abril de 2016, a igreja Rainha dos Anjos, em Dickinson –Texas (EUA) 52 almas foram Confirmadas e uma solene Missa Pontifical foi oferecida.

A previsão de 4-6 polegadas de chuva não se concretizou. Ao vez disso, choveu brevemente durante a missa e em seguida o belo sol texano apareceu!

O Bispo proferiu um belo sermão sobre os Dons do Espírito Santo sendo como um sopro nas velas do navio de nossas almas para o porto da salvação eterna. Ele então falou sobre São Damião de Molokai e seu zelo pelas almas como um exemplo de ação do Dom da Fortaleza.

A igreja Rainha dos Anjos foi dedicada pelo Arcebispo Lefebvre em 12 de julho de 1977. Foi a sede do Distrito dos EUA entre 1983-1988 e o Angelus Press funcionou lá entre 1977-1991. As últimas Confirmações foram dadas também por Dom Tissier em fevereiro de 2014. Em 2015 houveram 15 batizados e 4 casamentos. A média de presenças na missa dominical é de 340 pessoas.

Dickinson está localizado a 25 milhas ao sul da cidade de Houston e 20 milhas de Galveston, Texas Gulf Coast. Nela  há um priorado da FSSPX onde 5 sacerdotes (sendo Pe Frank Kurtz o Prior) e 2 irmãos residem. Dalí, os padres servem outra capela que estão localizadas em North Houston (St. Michael’s) com uma assistência na missa dominical de 125 pessoas, bem como as capelas em Carthage, TX, Corpus Christi, TX, Baton Rouge, LA e Kenner, LA (Nova Orleans).

ORDENAÇÕES DE 9 SUBDIÁCONOS E 13 PARA ORDENS MENORES DA FSSPX – SEMINÁRIO SÃO TOMÁS DE AQUINO (WINONA/EUA)

Fonte: SSPX EUA – Tradução: Dominus Est

Nove novos subdiáconos para a Igreja

Este slideshow necessita de JavaScript.

No sábado, 12 de março, os seminaristas Ian Palko, James Torzala, Peter Kallal, Tyler Nelson, Jonathan Kopec, Christopher Hone, Richard Brueggemann, Josh Jacobs e John Carlisle foram ordenados para a maior ordem de subdiácono pelo Bispo Tissier de Mallerais.

O papel do subdiácono é apresentar a patena e o cálice ao diácono na Missa Solene, para derramar a água no cálice e cantar a Epístola. Ele também é responsável pela purificação dos lenços sagrados.

Treze seminaristas recebem as ordens menores

Este slideshow necessita de JavaScript.

8 seminaristas receberam na sexta, 11 de março, as ordens do porteiro e leitor enquanto 5 receberam as ordens de exorcista e acólito. As ordenações são compostas de 3 partes: uma advertência ou instrução sobre as funções que incidirão sobre os ordenandos, a tradição dos atributos da ordem, e, finalmente, uma oração especial para o recém-ordenado, pedindo a Deus pela graça e as virtudes necessárias para cumprirem de maneira santa as funções da ordem recebida.

(…)

A quarta ordem menor é a de acólito. O acólito é o que traz luz para os fiéis, tanto conduzindo as velas acesas para o canto do Santo Evangelho, como por sua conduta, que deve iluminar os fiéis e levá-los sempre para perto de Deus. O acólito também traz água e vinho para os ministros sagrados no altar, que durante a Consagração será transformado no Sangue de Cristo. Mais ainda do que antes, ele deverá aplicar-se a uma vida de castidade.

TOMADA DE BATINA E TONSURA NO SEMINÁRIO DO SAGRADO CORAÇÃO – ZAITZKOFEN (ALEMANHA)

No dia 2 de fevereiro, Dom Bernard Tissier de Mallerais abençoou a batina de 9 seminaristas e deu a tonsura clerical a 7, tal como anunciado pelo Pe. Franz Schmidberger (reitor de seminário). Um dia depois o bispo deu as ordens menores a outros 7, com 3 tornando-se porteiros e leitores, e os outros 4 sendo ordenados exorcistas e acólitos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

TOMADA DE BATINA EM LA REJA – PARTE 2

Fonte: FSSPX Argentina

Em uma solene Missa Pontifical celebrada no domingo 13 de setembro, 2015, Sua Excelência Reverendíssima Mons. Tissier de Mallerais, bispo auxiliar da Fraternidade São Pio X, abençoou a batina de 9 seminaristas do Ano de Espiritualidade – 5 argentinos, 2 brasileiros , 1 chileno e 1 guatemalteco – que se revestem agora com o santo hábito clerical.

Esta é a primeira cerimônia que marca profundamente os seminaristas. Nesse dia, eles concretizam sua doação total à Nosso Senhor Jesus Cristo e o abandono definitivo da veste secular. Mons. Lefebvre sempre defendeu o uso da batina como sinal de sacrifício e como uma pregação viva de Nosso Senhor no mundo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

TOMADA DE BATINA EM LA REJA – PARTE 1

Fonte: FSSPX Argentina

Em uma solene Missa Pontifical celebrada no domingo 13 de setembro, 2015, Sua Excelência Reverendíssima Mons. Tissier de Mallerais, bispo auxiliar da Fraternidade São Pio X, abençoou a batina de 9 seminaristas do Ano de Espiritualidade – 5 argentinos, 2 brasileiros , 1 chileno e 1 guatemalteco – que se revestem agora com o santo hábito clerical.

Esta é a primeira cerimônia que marca profundamente os seminaristas. Nesse dia, eles concretizam sua doação total à Nosso Senhor Jesus Cristo e o abandono definitivo da veste secular. Mons. Lefebvre sempre defendeu o uso da batina como sinal de sacrifício e como uma pregação viva de Nosso Senhor no mundo.

Este slideshow necessita de JavaScript.